TSD apelam a “diálogo concertado” entre governos sobre Base das Lajes

 O Conselho Nacional dos TSD apelou hoje a um “diálogo concertado” entre os governos Regional e da República para que sejam encontradas soluções para as consequências sociais e económicas da redução do efetivo militar norte-americano na Base das Lajes.

“Em face das consequências sociais e económicas que esta situação previsivelmente irá gerar, os TSD apelam ao Governo da República e ao Governo Regional dos Açores para que promovam, em diálogo concertado, a definição de estratégias e medidas com vista a mitigar este problema”, afirmou, em comunicado, o Conselho Nacional dos TSD, que reuniu sábado em Vimeiro, Lourinhã.

A organização autónoma social-democrata defendeu também que as câmaras municipais da ilha Terceira e a comissão representativa dos trabalhadores da Base das Lajes “devem igualmente ser parte integrante neste processo de construção de soluções”.

O Conselho Nacional dos TSD referiu que a organização acompanha “com especial preocupação a situação laboral dos trabalhadores civis portugueses da Base das Lajes, na sequência da decisão do governo norte-americano de reduzir o seu efetivo militar naquela base”.

“Em causa estão 500 postos de trabalho diretos e muitas centenas de empregos indiretos e um impacto muito relevante na economia da ilha Terceira, correspondendo entre oito e 12 por cento do seu PIB”, referiram os TSD.

O presidente dos TSD/Açores, Joaquim Machado, que também esteve presente na reunião do Conselho Nacional, alertou para facto de que o desemprego “vai disparar” com a perda de postos de trabalho na Base das Lajes, “agravando a crise social que se vive nos Açores, dado que a Região tem já a maior taxa de desemprego do país e a maior incidência do Rendimento Social de Inserção”.

Joaquim Machado acrescentou que os interesses dos trabalhadores e da economia da Terceira “recomendam diálogo, cooperação e bom senso”, frisando que “as tentações de guerrilha política devem ser afastadas deste processo”.

GI PSD Açores/RL Açores

 

Deixe uma resposta