Turismo dos Açores deve passar por aposta nos produtos específicos de cada ilha, afirma Marta Guerreiro

A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo reafirmou, na Graciosa, que todas as ilhas dos Açores devem potenciar os seus produtos específicos, dando ênfase às suas particularidades.

“O Plano Estratégico e de Marketing do Turismo dos Açores prevê, precisamente, a divulgação dos produtos âncora que temos nos Açores e que não são iguais em todas as ilhas”, frisou Marta Guerreiro, que falava quarta-feira no final de reuniões com os agentes do setor do turismo na ilha Graciosa, nomeadamente agentes de turismo em espaço rural, operadores de animação turística, representantes de empreendimentos turísticos e agentes de viagens.

Marta Guerreiro salientou que nesta ilha se deve beneficiar um turismo de natureza, cuja atração primária deverá passar pelo mergulho, pelo termalismo, pela observação de aves e pelo geoturismo, com destaque para o contexto de uma Reserva da Biosfera.

“O caso da Graciosa tem de muito diferente a questão do termalismo, com uma história bastante antiga e com um impacto bastante grande em termos de oferta de saúde, portanto, tem que ser bem promovido e divulgado”, frisou.

No âmbito da estratégia do turismo dos Açores, a Secretária Regional tem vindo a reunir com os parceiros do setor, num trabalho de proximidade, de forma a que as políticas a desenvolver sejam o mais concertadas entre todos os agentes, valorizando a importância de um trabalho em conjunto.

“Tivemos oportunidade de falar com quem está no terreno sobre diversos temas, falámos sobre o tipo de alojamento que faz mais sentido na Graciosa, este ‘mix’ que temos atualmente com um hotel maior e algumas unidades mais pequenas de turismo rural com muita qualidade, e discutimos os produtos que podem ser desenvolvidos”, frisou Marta Guerreiro.

O Governo dos Açores está empenhado em manter um intenso diálogo com todos os agentes do setor, promovendo a partilha de conhecimento, a identificação de áreas críticas e o desenho de soluções, e defendendo um planeamento atento às tendências e às caraterísticas locais.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta