DestaqueLocalSaude

Unidade de Saúde de Ilha de São Jorge apresentou o seu plano de contingência – fique a conhecer aqui as alterações para os próximos tempos (c/áudio)

 

A Unidade de Saúde de Ilha de São Jorge apresentou, esta terça-feira, o seu plano de contingência no âmbito da pandemia Covid-19 e na sequência de um caso confirmado na ilha Terceira.

Coube ao Presidente do Conselho de Administração da Unidade de Saúde de Ilha, Paulo Sousa, apresentar as normas deste plano, referindo logo que “será garantida a atividade assistencial prioritária”, designadamente o atendimento e encaminhamento de doença aguda; renovação de receituário crónico, com atendimento telefónico preferencial, podendo ainda ser feito por correio eletrónico; atendimento às solicitações decorrentes de alta/informação hospitalar, também com atendimento telefónico preferencial; Cuidados curativos e visita domiciliária de enfermagem para cuidados curativos se a sua não realização coloca em risco a recuperação clinica do doente; Fornecimento de contracetivos, incluindo contraceção de emergência; Dar seguimento/encaminhamento a pedido de IVG; Consultas de saúde infantil até ao 1º ano de vida; Diagnóstico precoce aos recém-nascidos até ao 6º dia de vida; Vigilância de Saúde Materna e Obstétrica; Vacinação; Tratamento com agendamento.

 

Desta forma, face à redução da atividade assistencial, de forma a garantir uma resposta eficaz aos utentes, a Unidade de Saúde de Ilha de São Jorge fez saber que as consultas serão efetuadas por telefone pelos médicos de família (Teleconsultas), sendo que para já todas as consultas serão desmarcadas, sendo depois remarcadas pelos Administrativos dos Secretariados Clínicos dos Médicos de Família.

Também o pedido de renovação de receituário crónico passa a ser efetuado por telefone (Centro de Saúde da Calheta – 919 135 831 – e Centro de Saúde das Velas – 918 268 429) ou por email (Centro de Saúde da Calheta – SRAS-CSC@azores.gov.pt e Centro de Saúde das Velas – SRAS-CSV@azores.gov.pt ).

Os exames complementares de diagnóstico e terapêuticas não urgentes serão suspensos, nomeadamente: Laboratório; Terapia da Fala; Nutrição; Cardiopneumologia; Terapia Ocupacional; Fisioterapia e Radiologia. No entanto, a Unidade de Saúde de Ilha garante que serão assegurados a atividade urgente do Laboratório, Radiologia e de Fisioterapia.

A Medicina Dentária e Psicologia a atividade assistencial está suspensa, sendo que apenas serão assegurados os casos urgentes. No caso da Psicologia, as consultas serão realizadas por Teleconsulta.

Os utentes que fazem medicação hospitalar imunodepressiva ou oncológica vão receber a mesma no seu domicílio.

As visitas ao internamento estão limitadas apenas a uma visita por doente e por tempo limitado.

 

Coube à Doutora Natália Lopes, Diretora Clínica do centro de Saúde das Velas, falar sobre a questão das Teleconsultas.

A Diretora Clínica apelou ainda a que todas as pessoas cumpram a quarentena imposta na chegada do exterior a São Jorge, coisa que não tem estado a acontecer, tal como alertou a médica.

A Unidade de Saúde de Ilha de São Jorge fez ainda saber que desde esta terça-feira, 17 de março, será condicionado o acesso aos colaboradores e utentes em ambos os centros de saúde, sendo criados postos de triagem para identificação de utentes com sintomatologia do foro respiratório e o seu encaminhamento para a Linha de Saúde Açores, tal como explicou Paulo Sousa, o administrador da Unidade de Saúde de Ilha.

Por outro lado, serão preparados circuitos protegidos para crianças e grávidas.

O vogal médico do Conselho e Administração da Unidade de Saúde de Ilha apelou ainda às pessoas para não se dirigirem às Urgências sem antes contactarem a Linha de Saúde Açores.

César Gonçalves também apelou a que as pessoas cumpram a quarentena, adiantando que será dada uma listagem à PSP com os nomes destas pessoas para uma melhor fiscalização.

O vogal médico do Conselho de Administração da Unidade de Saúde de Ilha adiantou não saber precisar o número exacto de casos em quarentena na ilha de São Jorge, mas referiu que só no voo que chegou esta terça-feira a São Jorge foi decretada a quarentena a 44 passageiros.

Questionado sobre o facto de haver um caso suspeito de uma pessoa de São Jorge internada de momento no Hospital de Angra e sobre a mesma pessoa ter alegadamente furado a quarentena, César Gonçalves referiu ainda que, na sua opinião, a quarentena devia ser imposta logo à entrada nos Açores e não apenas na chegada ao destino final, neste caso São Jorge.

A Unidade de Saúde de Ilha fez ainda saber que a partir desta quarta-feira marcará presença na Gare Marítima das Velas e no Aeroporto de São Jorge, de forma a aplicar inquéritos de despiste.

 

Liliana Andrade/RL Açores/USISJ

Comment here