Vacinação contra a Covid-19 avança em São Jorge

Inicia-se na próxima quinta-feira, dia 4 de fevereiro, em São Jorge, a primeira fase da vacinação contra a Covid-19. Vieram à Rádio Lumena, três médicas do Centro de Saúde de Velas falar sobre o processo de vacinação na ilha.

A administração da vacina será dividida em três fases diferentes, nas quais, numa primeira fase devem ser vacinados os utentes de lares de idosos e profissionais de saúde, explicou a doutora Mariana Silva à Rádio Lumena.

“Inicialmente foi prevista uma divisão em três fases, para que decorra o plano de vacinação, porém, estas fases vão de acordo com prioridades desenvolvidas, nomeadamente os grupos de profissionais de saúde e residentes em lares, sendo depois dirigida à população, também de acordo com as idades e possíveis doenças que a população tenha de forma que consigamos abranger a totalidade das pessoas.”

Contudo, quem já esteve infetado pela covid-19 não faz parte das primeiras fases de vacinação.

“A grande maioria das pessoas que já teve Covid acabou por desenvolver uma proteção contra a doença, essa proteção aparenta durar, pelo menos, 3 a 4 meses, mas só com o tempo se saberá ao certo quanto tempo definitivamente se prolonga. A maioria dos especialistas considera ser seguro, que quem já teve a doença tome a vacina. Contudo, enquanto o número de vacinas for muito limitado, estas pessoas não terão prioridade no processo de vacinação.” Explica a médica Catarina Silva.

Como todas as vacinas, a vacina contra a covid-19, segundo Catarina Silva, também traz efeitos secundários “leves a moderados e normalmente ocorrem até ao segundo dia após a vacinação. Esses efeitos passam por dor e inchaço no local de administração, pode dar algumas dores no corpo ou dores de cabeça, mas nada muito grave. De notar que, nesta primeira fase caso haja alguma reação, temos sempre médicos e enfermeiros prontos a auxiliar no socorro.”

A médica Ana Redondeiro, alerta para os cuidados que se devem manter, mesmo após a toma da vacina.

“Depois da toma da vacina, devemos manter todas as medidas de cuidados de higiene: desinfetar as mãos, usar máscara e respeitar o distanciamento social, pois, uma pessoa vacinada só deve ser considerada protegida sete dias após a segunda toma da vacina. Neste momento, temos duas vacinas e em que são feitas duas administrações: uma que tem o prazo de 21 dias de intervalo que é a “Cominarty”, e outra com 28 dias de intervalo, a “Moderna”.”

Salienta ainda que “as vacinas conferem uma proteção contra a doença sintomática mas não necessariamente contra ser portador e transmissor da doença, portanto, a pessoa pode na mesma contrair a covid-19, ser assintomático e passá-la aos outros. Daí ser importante, manterem-se as regras para impedir uma disseminação vírica.”

Por fim, as médicas deixaram algumas informações acerca das vacinas:

“As vacinas não contêm o vírus, SARS-coV-2 e não causam a doença;

As únicas pessoas a quem vacina não está ainda indicada neste momento são os menores de 16 anos ou as mulheres grávidas ou amamentar, uma vez que a vacina não foi testada nestes grupos;

Apenas vacinando toda a população é que se consegue alcançar a imunidade de grupo que vai controlar a disseminação da doença na comunidade e só assim poderemos recuperara a nossa saúde, economia e liberdade;

A vacinação contra a covid-19 é voluntária mas é fundamental para a proteção da saúde pública e para o controlo da pandemia, pelo que está fortemente recomendada.” Salientam.

Catarina Silva, Ana Redondeiro e Mariana Silva, médicas do Centro de Saúde de Velas que falaram à Rádio Lumena acerca da administração da vacina contra a covi-19, a iniciar-se já no próximo dia 4 de fevereiro.

Laura Cabral/RL Açores

Deixe uma resposta