Home / Açores / Vasco Cordeiro afirma que novo modelo de acessibilidades aéreas aos Açores “está a servir todas as ilhas”
Vasco Cordeiro afirma que novo modelo de acessibilidades aéreas aos Açores “está a servir todas as ilhas”

Vasco Cordeiro afirma que novo modelo de acessibilidades aéreas aos Açores “está a servir todas as ilhas”

O Presidente do Governo afirmou, nas Velas, que o novo modelo de acessibilidades aéreas à Região está a servir todas as ilhas dos Açores, nomeadamente no que se refere ao impulso dado ao setor do turismo.

“Os dados que temos demonstram claramente que este modelo está a servir todas as ilhas da nossa Região, está a reverter em benefício de todas as ilhas, sobretudo no que tem a ver com o setor turístico e com o novo impulso que foi dado a este setor”, frisou Vasco Cordeiro, que falava quarta-feira na cerimónia de reabertura do Auditório Municipal das Velas, em S. Jorge.

Nesse sentido, revelou que, apenas no que se refere a S. Jorge, segundo os últimos dados disponíveis, o número de dormidas cresceu em maio 59,7 por cento relativamente ao mesmo mês do ano passado e, entre janeiro e maio deste ano, aumentou 28,5 por cento relativamente ao mesmo período de 2014.

Por outro lado, também relativamente a S. Jorge, os proveitos totais do setor do turismo aumentaram 33,4 por cento nos primeiros cinco meses deste ano, relativamente aos dados obtidos entre janeiro e maio do ano passado.

“Isto é bastante significativo e uma demonstração do acerto da negociação que foi feita entre o Governo dos Açores e o Governo da República em relação ao novo modelo de acessibilidades aéreas à Região”, frisou, destacando também o impulso que este crescimento tem para o aproveitamento do potencial das ilhas açorianas, que “pode crescer de forma bastante significativa”.

Vasco Cordeiro salientou também o “impacto significativo” das novas obrigações de serviço público nas ligações inter-ilhas, que se traduzem numa diminuição significativa das tarifas aéreas.

Nesse sentido, referiu que as tarifas na rota S. Jorge/Terceira passam para 90 euros, enquanto na rota S. Jorge/Ponta Delgada descem de 160 para 120 euros.

Na sua intervenção, o Presidente do Governo destacou a importância do investimento na requalificação do Auditório Municipal das Velas, permitindo criar condições para acolher eventos de música, teatro e cinema, mas também conferências e congressos, o que permitirá a S. Jorge dispor de mais condições de atratividade.

Para Vasco Cordeiro, o investimento em infraestruturas permite preparar a Região para os desafios que se colocam num futuro próximo, considerando, por isso, que estas intervenções “podem dar melhores ferramentas à Região para o seu desenvolvimento e progresso”.

“É isso que temos procurado fazer em todas as ilhas, com uma consciência muito clara e muito precisa da importância que este tipo de intervenções tem, desde logo como fator de coesão regional, de preparar todas e cada uma das nossas ilhas para os desafios do futuro”, frisou.

Nesse sentido, no que se refere a S. Jorge, Vasco Cordeiro salientou que o Governo tem atualmente em fase de contratação, já com concursos lançados, investimentos nesta ilha que ascendem a cerca de 43 milhões de euros e que incluem, entre outros, a ampliação do porto comercial das Velas, a construção da nova escola da Calheta, intervenções em caminhos agrícolas e estradas regionais e obras de proteção da orla costeira.

“É necessário que estas infraestruturas sejam consideradas como ferramentas, como instrumentos que estão à nossa disposição para serem utilizados como fatores de desenvolvimento e de progresso”, afirmou.

Para Vasco Cordeiro, o investimento em infraestruturas, o novo modelo de acessibilidades aéreas à Região e as novas obrigações de serviço público nas ligações inter-ilhas são “pontos de partida que convocam a capacidade empreendedora, o profissionalismo, o espírito empreendedor de todos os Açorianos para uma fase em que precisamos de aproveitar e fazer rentabilizar estas medidas”.

O sucesso, segundo Vasco Cordeiro, passa também por uma cooperação entre todos os intervenientes, nomeadamente entre o Governo Regional e as autarquias locais.

“Se cada um fizer bem a sua parte, todos saímos a ganhar. Não sai a ganhar o Governo, saem a ganhar os Açorianos e os Açores e isso é o fundamental”, frisou o Presidente do Governo.

GaCS/RL Açores

 

About admin

Leave a Reply

Scroll To Top