Home / Politica / Vasco Cordeiro anuncia várias novas medidas para responder aos desafios que se colocam aos Açorianos
Vasco Cordeiro anuncia várias novas medidas para responder aos desafios que se colocam aos Açorianos

Vasco Cordeiro anuncia várias novas medidas para responder aos desafios que se colocam aos Açorianos

“Fazer mais e melhor pelas famílias, pelas empresas, pelos trabalhadores, pelos jovens, pelas crianças, pelos idosos dos Açores. Fazer ainda mais e melhor pelos Açorianos”, são os objetivos assumidos pelo Presidente Vasco Cordeiro, no encerramento do XVII Congresso do PS/Açores, que se realizou na Praia da Vitória.

O líder dos socialistas açorianos apresentou um conjunto de propostas assegurando que o Partido “está pronto”, “responde presente!” e está “ainda mais motivado, ainda mais empenhado, ainda mais determinado em, Pelos Açores e Com os Açorianos, vencer os desafios”.

Vasco Cordeiro dirigiu-se diretamente à Juventude Açoriana para garantir que o PS tem respostas, nomeadamente através da “criação de um programa de apoio a jovens universitários que abranja as fases da ideia de negócio, do plano de negócio, da criação de empresa e acompanhamento personalizado da sua atividade durante os primeiros anos de atividade”. Para os jovens que têm a escolaridade obrigatória, até 29 anos e estão desempregados há mais de três meses, o líder dos socialistas quer por em prática “formação em contexto de trabalho nos setores estratégicos para a Região e que tem por objetivo final a sua integração profissional nesses setores”.

O PS/Açores está, também, preparado para ajudar a resolver os desafios dos pais e das mães que têm empregos com horários mais alargados, ou trabalham em turnos: “Criação de um projeto piloto de resposta integrada creche e ATL, com horário alargado das sete horas da manhã até à uma da manhã e que vai funcionar, numa primeira fase, nas ilhas de São Miguel, Terceira e Faial, para responder, exatamente, às necessidades desses Pais e de muitos outros Pais Açorianos, que, diariamente, lutam com essa dificuldade”.

Vasco Cordeiro anunciou, ainda, o “Movemprego” – uma medida “que vai apoiar os açorianos e as empresas a contratarem trabalhadores ou procurar ofertas de emprego noutra ilha em setores e ilha carenciadas desses recursos, apoiando a mobilidade regional interna para setores carenciados de recursos humanos ou ilhas com redução demográfica”.

Outra das propostas que o Presidente do PS/Açores referiu, passa pela criação da “Bolsa de Cuidadores Formais para Pessoas Idosas ou Dependentes, uma medida que tem o objetivo de dar resposta a situações em que um idoso ou um dependente necessite da prestação de cuidados ou de apoio 24 horas por dia, ou necessita de alguém para o acompanhar, por exemplo, a consultas ou a tratamentos médicos, ou ainda de dar reposta àquelas situações em que é o próprio cuidador informal – um pai, um filho, ou um familiar -, que necessita de ajuda e de apoio”. Quanto aos cuidados domiciliários Vasco Cordeiro explicou que vão ser alargados “os horários diários” e garantida a “prestação desses cuidados aos fins de semana”.

Entre várias outras medidas, Vasco Cordeiro anunciou, também, que até ao final do próximo ano, vão ser distribuídas “pelas corporações de bombeiros da nossa Região, 30 novas ambulâncias, garantindo, dessa forma, a melhoria e a confiança na capacidade de socorro às populações”.

 

 

Vasco Cordeiro quer aprofundar a descentralização e a cooperação com parceiros locais e políticos

“Quero anunciar que o Partido Socialista dá hoje, aqui, o impulso primeiro para que se inicie um processo de descentralização de competências do Governo Regional para os municípios e para as freguesias açorianas, e que convida todos os partidos políticos para um trabalho conjunto, ponderado e estruturante”, afirmou Vasco Cordeiro, no encerramento do XVII Congresso do PS/Açores que se realizou na ilha Terceira.

O Presidente do PS/Açores defende que é preciso refletir e debater “questões estruturantes da nossa vivência coletiva”, que “podem melhorar o nosso futuro, enquanto povo, enquanto Região”, nomeadamente em relação ao poder regional e autárquico: “Acredito não existir absolutamente nenhuma razão, nem nenhum interesse que impeça ou desaconselhe que, aqui nos Açores, possamos olhar de forma desassombrada e inovadora para a partilha de competências entre o poder regional e o poder autárquico”.

Vasco Cordeiro considera que esse debate sobre a descentralização deve seguir três critérios essenciais: “traduzir uma efetiva Valorização do poder local; trazer mais eficácia e maior racionalidade na gestão dos recursos públicos e garantir um melhor serviço para as Açorianas e Açorianos”. O líder dos socialistas identificou três áreas em que a descentralização merece ser discutida para garantir resultados “em benefício das Açorianas e dos Açorianos”: Participação das autarquias locais na gestão e operacionalização das medidas de ação social escolar; Reforço da intervenção das autarquias locais, nomeadamente das juntas de freguesia, nos processos de licenciamento e autorizações de matérias referentes, por exemplo, ao ambiente – mas sem nunca por em causa a celeridade dos processos e a resposta atempada aos Açorianos -; Reforço da Intervenção local, reforço da intervenção das autarquias, na manutenção da rede viária regional, incluindo caminhos agrícolas”.

A mesma vontade de união de esforços foi transmitida aos convidados presentes na Sessão de Encerramento: “A vossa presença aqui, convidados que representam partidos políticos, instituições associativas da nossa vida coletiva, entidades institucionais, tem, quanto a mim, um simbolismo que vai bem para além de um ato de cortesia. Significa, sobretudo, que é possível conjugar a intensidade das convicções com o respeito pela diversidade de opiniões”.

“A vossa presença aqui tem também o significado, e traz consigo, uma mensagem poderosa, de uma Democracia de respeito, de sã convivência democrática e tolerante que não pode deixar de ser enaltecida e valorizada porque é uma Democracia que fortalece a Autonomia e prestigia os Açores. E estes não são aspetos de pouca importância nos dias que correm”, salientou Vasco Cordeiro, acrescentando: “Diria mesmo que são aspetos – a qualidade do debate político, o respeito pela opinião ou proposta diferente ou a dignidade que deve estar inerente ao confronto de ideias e perspetivas a favor dos Açores – aspetos relativamente aos quais devemos estar vigilantes, comprometidos, prontos para a sua promoção e para a sua defesa, também aqui nos Açores”.

 

 

 

 

GI PS Açores/RL Açores

Fotografia: ©PS Açores

About admin

Leave a Reply

Scroll To Top