Vasco Cordeiro destaca contributo do TERINOV para reforço da competitividade da economia regional

O Presidente do Governo afirmou hoje, em Angra do Heroísmo, que o novo Parque de Ciência e Tecnologia da Ilha Terceira, um investimento superior a oito milhões de euros, constitui um projeto ambicioso com vista ao reforço da competitividade da economia da Região, um objetivo que implica, também, uma parceria forte envolvendo a Universidade dos Açores e as empresas açorianas.

“Esta obra é um passo que tem a ver com a componente pública, mas há, agora, um caminho que se abre e que inclui a Universidade dos Açores e as empresas e com o facto de elas porem em prática uma postura alicerçada na inovação e no conhecimento para a criação riqueza e de emprego”, afirmou Vasco Cordeiro.

O Presidente do Governo falava na cerimónia de lançamento da primeira pedra do TERINOV – Parque de Ciência e Tecnologia, um investimento previsto no Plano de Revitalização Económica da Ilha Terceira e que ficará instalado nos edifícios que já serviram de hospital militar na década de 40 do século passado e também acolheram o Pólo da Terra Chã da Universidade dos Açores.

Vasco Cordeiro salientou que esta nova infraestrutura insere-se, assim, no objetivo de reforçar a competitividade da economia e a criação de riqueza na Região, um objetivo que, a par da construção do TERINOV, implica, também, uma parceria forte entre o tecido empresarial da Região e a Universidade.

Na ocasião, destacou também a componente agroalimentar que terá este Parque de Ciência e Tecnologia, o que, em circunstâncias normais, seria já importante para o desenvolvimento deste setor específico.

“Mas, na conjuntura em que vivemos, tem, efetivamente, um valor acrescido o facto de apostarmos, também, nesta componente do agroalimentar e, em especial, dos lacticínios, para que possamos dar passos em frente alicerçados na inovação e no conhecimento”, sublinhou.

Na sua intervenção, o Presidente do Governo destacou ainda o facto de este projeto privilegiar a reabilitação urbana, dando tradução prática à orientação política do Governo dos Açores de reabilitar o edificado existente quando se verifique que pode ser aproveitado para novas utilizações.

De acordo com Vasco Cordeiro, a construção do TERINOV na ilha Terceira não constitui um caso isolado na Região, sendo mais uma peça num conjunto de infraestruturas existentes em várias ilhas, como é o caso, entre outros, do Parque de Ciência e Tecnologia de São Miguel – NONAGON, da Estação de Rastreio da ESA na ilha de Santa Maria e do projeto ARM em curso na ilha Graciosa.

“Estes serviços dirigem-se à nossa Região, mas permitem também a captação de interesses externos que possam juntar massa crítica a estas áreas do nosso desenvolvimento”, frisou Vasco Cordeiro.

Através da reabilitação de uma área de cerca de 5.000 m2, o TERINOV terá uma zona para a incubação de empresas, espaços de ‘coworking’, seis áreas destinadas a indústrias culturais e criativas, oito espaços para empresas existentes, duas alas de laboratórios de investigação e desenvolvimento para a indústria agroalimentar e para biotecnologia, e um laboratório para a inovação em produtos lácteos.

GaCS

Deixe uma resposta