Ultimas
Home / Açores / Vítor Fraga anuncia investimento superior a 22 milhões de euros em energias renováveis para 2016
Vítor Fraga anuncia investimento superior a 22 milhões de euros em energias renováveis para 2016

Vítor Fraga anuncia investimento superior a 22 milhões de euros em energias renováveis para 2016

O Secretário Regional do Turismo e Transportes anunciou esta quinta-feira, na Terceira, que o Governo dos Açores vai investir em 2016, mais de 22 milhões de euros em energias renováveis, consolidando assim a política energética em implementação pelo executivo açoriano.

Durante a cerimónia de lançamento da primeira pedra da Central Geotérmica do Pico Alto, a que presidiu, em representação do Presidente do Governo, Vítor Fraga anunciou que no próximo ano “serão investidos mais de 22 milhões de euros no aproveitamento geotérmico na Ilha Terceira e em São Miguel, na gestão dos sistemas hídricos e nos parques eólicos, prevendo-se que a taxa de penetração da energia renovável na Região atinja os 38%”.

O Secretário Regional lembrou que na ilha Terceira, todo o complexo da Central Térmica de Belo Jardim está a ser reestruturado, estimando-se a sua conclusão para finais de 2016. “Neste sentido, será lançado até ao final deste ano o concurso para instalação do novo grupo térmico de 9 MW, num valor estimado de 13 milhões de euros, tendo ainda sido adquirido recentemente um novo armazém junto à Central de Belo Jardim, no valor de 390 mil euros”, anunciou o titular da pasta da Energia.

O Secretário Regional frisou ainda que todas as linhas de transporte de média tensão desta ilha estão concluídas, “faltando apenas a linha que irá ligar esta Central Geotérmica à subestação de 4 Ribeiras, que está já em execução e a linha da circunvalação a 15 kV, que está em fase de projeto”.

“Encontra-se também em fase final de testes, a subestação da Praia da Vitória, prevendo-se que no início do próximo ano esta esteja a trabalhar em pleno”, afirmou também Vítor Fraga, referindo ainda que “toda a rede de baixa tensão em cobre nu está a ser remodelada, prevendo-se a sua conclusão no próximo ano”.

Os resultados do investimento que está a ser realizado nesta ilha “começam a surgir”, sendo “com orgulho que constatamos que os tempos de indisponibilidade da energia elétrica na ilha Terceira foram reduzidos este ano aos menores valores de sempre”, referiu o Secretário regional, expressando por isso a “gratidão à administração e a todos os colaboradores da Empresa de Eletricidade dos Açores, pelo trabalho desenvolvido e por este excelente resultado”.

Relativamente à Central Geotérmica do Pico Alto, Vítor Fraga frisou que esta unidade “representa a concretização de mais um significativo passo no desígnio de garantir a sustentabilidade ambiental e energética da Região Autónoma dos Açores”.

Com a concretização deste projeto, a produção de renováveis na ilha Terceira atingirá cerca de 30%, sendo que aproximadamente 11% terá origem geotérmica, o equivalente a uma produção de eletricidade anual de 21 GWh, e que permite uma diminuição anual das emissões com impacte ambiental, de cerca de 17 mil toneladas de dióxido de carbono (CO2).

“Com o início da produção de eletricidade através da nova central geotérmica, a Região reforça a sua posição para que, no ano de 2019, se atinjam os valores de penetração de energias renováveis, conforme preconizado pelas orientações emanadas do Governo, na ordem dos 56% do total da produção elétrica nos Açores”, contabilizou Vítor Fraga.

O Secretário Regional salientou ainda o esforço realizado pela Região para implementar, nas várias ilhas, sistemas produtores de eletricidade através de energias renováveis, resultando numa penetração deste tipo de energia que já representa mais do dobro do previsto para o contexto da União Europeia.

“Mais do que meros dados estatísticos, estes números provam um esforço continuo com resultados e benefícios aos mais variados níveis, desde logo, na componente ambiental, mas também tornando os Açores mais autónomos na área energética”, afirmou Vítor Fraga, “com efeitos significativos no reforço da competitividade económica e, por essa via, na criação de condições para criar mais e melhor emprego”.

GaCS/RL Açores

About admin

Leave a Reply

Scroll To Top