Vítor Fraga destaca impacto do SATA Rallye Açores na economia regional

O Secretário Regional do Turismo e Transportes destacou a grandeza do impacto económico que teve a edição do ano passado do SATA Rallye Açores, salientando que trouxe um retorno superior a 13 milhões de euros direta e indiretamente, através da projeção mediática do evento.

“O retorno do SATA, se havia alguma dúvida, hoje ficou aqui claramente demonstrado. Pelos números que tivemos oportunidade de ver, o impacto económico que este evento tem é superior a 13 milhões de euros”, afirmou Vítor Fraga, especificando que esse valor inclui “9,6 milhões com impacto direto na economia da Região e quatro milhões por via do ‘media value’, ou seja, a projeção que a Região consegue ter através dos órgãos de comunicação social”.

Vítor Fraga, que falava terça-feira em Ponta Delgada, na apresentação da edição deste ano, considerou a prova como “o maior e mais mediático evento desportivo realizado nos Açores” e frisou que se trata de uma conquista “não só dos promotores, mas também de todos os Açorianos”, pelos elevados valores de notoriedade atingidos, sublinhando o papel fundamental do evento na estratégia de comunicação com o cliente final.

“Através da difusão, quer pela Eurosport, quer também pelos canais digitais como tivemos oportunidade de ver, é um bom exemplo daquilo que temos que fazer para despertar essa vontade de nos visitar em detrimentos dos outros destinos”, afirmou.

Vítor Fraga revelou que a Região está a ultimar o Plano Estratégico e de Marketing para o Turismo dos Açores, com o horizonte 2020, onde se pretende desenvolver um novo modelo de promoção turística, definir novas estratégias de qualificação e valorização da oferta turística e ainda implementar um projeto de educação para o turismo.

Este setor, segundo frisou, “assume-se como catalisador de desenvolvimento de outros setores de atividade”, acrescentando que “o receber bem é algo que tem de ser transversal a toda a sociedade, a todos os que têm contato com quem nos visita, tanto direto como indireto”.

“É fundamental que a Região, que tem pouco mais de uma década e meia de desenvolvimento de um setor estratégico como o turismo, desenvolva uma cultura de bem receber, uma cultura de hospitalidade, uma cultura de serviço para o turista, para todos aqueles que a visitam”, afirmou.

O Secretário Regional indicou que este programa de educação para o turismo promoverá, no próximo ano letivo, a introdução de conteúdos específicos para os alunos do 1.º e 2.º ciclos.

“Este não será naturalmente um trabalho visível no imediato, mas será certamente dos trabalhos mais importantes em termos de desenvolvimento de uma verdadeira cultura de turismo para a nossa região”, sublinhou o titular da pasta do Turismo.

Ainda que o setor do turismo viva um momento de grande confiança, Vítor Fraga salientou que não se pode pensar que a confiança signifique que está tudo feito, afirmando que, ainda que o novo modelo de acessibilidades aéreas permita chegar a novos segmentos de mercado, é também necessário usar as ferramentas de comunicação, nomeadamente o digital e social media, para conseguir atrair o potencial turista.

“Não podemos esquecer também que o facto de chegarmos a todos esses potenciais turistas, significa igualmente que estamos a competir, a concorrer a todo o momento com todos os destinos do Mundo”, frisou Vítor Fraga, para quem “aquilo que fará com que decidam por nós em detrimento dos outros é mostrar que não somos bons, mas que somos simplesmente os melhores”.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta