Vítor Fraga revela que serviços da Administração Pública Regional vão ser colocados na Azores Cloud

O Secretário Regional do Turismo e Tranportes anunciou, na Assembleia Legislativa, na Horta, que o Governo dos Açores vai criar a ‘Azores Cloud’.

Vítor Fraga afirmou que se pretende “colocar os serviços da Administração Pública Regional numa ‘cloud’ partilhada, com acesso igual a todos os serviços da Administração Pública, numa perspetiva única de qualidade de prestação de serviços ao cidadão”, independentemente da ilha em que se encontre.

O Secretário Regional lembrou que o Governo dos Açores “tem uma Agenda Digital e Tecnológica (ADTA) para a Região, que tem como principais objetivos criar inovação, criar valor nos produtos que temos na Região, resolver efetivamente desafios ao nível social e potenciar o desenvolvimento económico na Região”.

Nesse sentido, acrescentou que existe já hoje, com a ligação do cabo de fibra ótica a todas as ilhas, “uma infraestrutura que assim o permite”.

Para Vítor Fraga, trata-se de “uma aposta muito clara e muito determinada do Governo dos Açores”.

O titular da pasta da Tecnologia frisou ainda que “existem também na ADTA medidas concretas para a captação de investimentos em infraestruturas tecnológicas para a Região”, salientando que este é um trabalho que está a ser desenvolvido.

Vítor Fraga manifestou a convicção de que este trabalho “irá dar resultados, contribuindo assim para que se possa incorporar valor e trazer riqueza para a Região e que esses projetos possam, inclusivamente, criar postos de trabalho fortemente qualificados”.

Questionado sobre a rede viária regional, Vítor Fraga salientou que o Executivo tem uma preocupação permanente em garantir níveis de qualidade elevados nas estradas do arquipélago.

Ao nível da Carta das Obras Públicas e numa perspetiva de legislatura, estão previstos 63 procedimentos para a requalificação da rede viária, sendo que para este ano está “previsto um investimento superior a 5,5 milhões de euros, entre requalificação, conservação e intervenções diretas, provenientes dos danos provocados pelas calamidades”, revelou o Secretário Regional.

RL/Gacs

Deixe uma resposta