Açores

Voos de baixo custo na Terceira terão impacto muito significativo na economia da ilha, afirma Sérgio Ávila

O Vice-Presidente do Governo dos Açores destacou, em Angra do Heroísmo, a “conclusão de um compromisso assumido em abril”, que conduziu ao anúncio, feito esta terça-feira, do início dos voos de baixo custo entre o continente e o Aeroporto das Lajes, previsto para dezembro.

Sérgio Ávila, que falava numa conferência de imprensa onde foi anunciado o programa de voos, a cargo da Ryanair, acrescentou ficar assim consolidada uma das medidas previstas no Plano de Revitalização Económica da Ilha Terceira (PREIT) e que se consubstanciava na “dinamização da componente do turismo como fator essencial na criação de riqueza, de desenvolvimento da ilha e de criação de emprego”.

O Vice-Presidente acentuou que “essa tarefa tem vindo a ser executada, nomeadamente através de um conjunto de novas operações diretas dos Estados Unidos, da Alemanha e da Espanha, que resultou num crescimento de 100 por cento” do turismo na Terceira, permitindo os voos low cost reforçar o desenvolvimento deste destino.

Para Sérgio Ávila, a conclusão, bem sucedida, do processo que conduziu à vinda dos voos de baixo custo para a Terceira ficou a dever-se “apenas a trabalho, trabalho, trabalho”.

“Nós tivemos uma opção clara de desenvolver todo este processo sem falar, fazendo sem falar”, afirmou, sublinhando a colaboração dada ao Governo dos Açores “pela Ryanair e pelo Governo da República, na pessoa do Primeiro-Ministro, António Costa”, que, segundo lembrou, assumiu este objetivo em abril.

Sérgio Ávila revelou que, “desde essa altura, houve que limar um conjunto de arestas, ultrapassar um conjunto vasto de obstáculos, e isso só foi possível graças ao trabalho conjunto do Governo dos Açores e do Governo da República, que trabalhou para que isto acontecesse”, como foi “essencial” o trabalho da Secretaria Regional do Turismo e Transportes, liderada por Vítor Fraga.

Na sua intervenção, o Vice-Presidente mostrou-se convicto de que, a partir de dezembro, o início dos voos irá ter “um impacto muito significativo” na atividade económica, na geração de riqueza e na criação de emprego.

“Temos um enorme potencial à nossa frente”, frisou, exemplificando com a qualificação dos serviços e desenvolvimento de novos serviços e produtos, “para este aumento bastante significativo da procura do destino da ilha Terceira e dos Açores, na globalidade”.

Sérgio Ávila recordou, a propósito, que os Açores “crescem, neste momento, três vezes mais do que a média do país, a Terceira cresce 10 vezes mais do qua a média do país”, reiterando a ideia de que há ainda “um potencial de crescimento muito significativo”.

“Já refletindo esse clima de confiança e de esperança no futuro, temos já aprovadas quatro novas unidades hoteleiras para a ilha Terceira, cujas obras se irão iniciar muito rapidamente”, anunciou o Vice-Presidente.

Para Sérgio Ávila, “este é, pois, um dia extremamente significativo pelo futuro que representa de confiança e de esperança, e é significativo também pelo culminar do trabalho bastante árduo e bastante intenso que todos nós fizemos ao longo dos últimos tempos”.

“Estar aqui hoje não é o fim de um processo”, afirmou o Vice-Presidente, sublinhando que é, sim, “o início de um desenvolvimento que queremos consolidar, reafirmando e consolidando o turismo como etapa fundamental do desenvolvimento da ilha Terceira, como tínhamos, aliás, definido no PREIT”.

GaCS/RL Açores

Comment here