Açores pela primeira vez integram os 69 destinos da Missão País

Quatro mil universitários estão a participar na edição de 2024 da ‘Missão País’, projeto católico de universitários, que este ano chega ao arquipélago dos Açores, sendo este o destino de uma das 69 missões que já se encontram a decorrer por todo o país. 

Ao fim de 21 anos, a ‘Missão País’ continua a levar jovens a vilas, aldeias e lugares de Portugal, na pausa letiva entre semestres, nos quais durante uma semana chegam ao coração dos outros através da alegria de missionar, em locais como lares de idosos, creches ou escolas.

Cada missão é composta por 50 missionários, oito chefes, um padre e um seminarista ou uma irmã, e segundo Maria, é impossível que os missionários terminem a ‘Missão País’ sem ficar marcados pela “forte experiência que é”.

Pedro Rodrigues, chefe nacional, destaca que não só a Jornada Mundial da Juventude Lisboa (JMJ) 2023 veio mostrar que Portugal “é uma população de jovens católicos e que se querem afirmar”, como em cada ano se ressente um “crescimento” nas candidaturas, que levam à abertura de novas missões e à adesão de novas faculdades, mostrando que há “fogo” e “vontade de querer seguir Jesus” nestas instituições.

Cada faculdade mantém-se três anos no mesmo local: o primeiro corresponde ao ano de “acolhimento”; em que são criadas relações e laços; o segundo ano é de “transformação”, em que já existe uma “base de confiança” e as pessoas se deixam transformar e ser tocadas pelos missionários que se transformam também; e o terceiro de “envio”, em que os jovens enviam a comunidade e deixam “sementes” para que estas possam, nos anos que se seguem, “manter esta fé de missionário”.

A ‘Missão País’ nasceu em 2003, fruto de uma dupla vontade de três estudantes universitários da Universidade Nova de Lisboa, que tinham como objetivo entregar parte do seu tempo à missão e ter na faculdade algo que os aproximasse de Deus.

RL/IA

Deixe um comentário