Ana Luís destaca importância da atividade do CAO das Velas

Ana Luís, presidente da Assembleia Legislativa Regional, que esteve em São Jorge no passado fim-de-semana para assistir ao concerto solidário promovido pela Assembleia, teve também oportunidade de visitar algumas instituições da ilha, entre as quais o CAO das Velas e a Santa Casa da Misericórdia da Calheta.

De visita ao CAO das Velas, a presidente da assembleia registou que esta “foi uma vista muito interessante” e que a associação conta com “um programa e um plano de atividades bastante completo”.

Ana Luís salientou também que o papel desta associação é muito importante na vida dos seus utentes, uma vez que é sempre “uma forma de ocuparem os seus tempos livres” bem como “terem outra dinâmica na sua atuação do dia-a-dia, poderem interagir também com outros jovens de outras escolas aqui do concelho”.

 “É uma associação com muitos projetos de futuro que devem ser apoiados e, que, naturalmente, serão e que projeta para estes jovens e para estes adultos uma perspetiva de futuro melhor dada a sua condição física”, frisou Ana Luís.

A presidente da Assembleia afirmou que atualmente as crianças portadoras de deficiência já são integradas na escola regular, mas há medida que vão crescendo “há outras exigências e outro trabalho mais específico que tem de ser feito com eles” e, de acordo com Ana Luís, cabe à população em geral a responsabilidade em facilitar a adaptação e integração destes jovens e futuros adultos na sociedade.

Fátima Osório, presidente do CAO das Velas, referiu, a propósito da visita de Ana Luís, que é sempre “importante e imprescindível” que as pessoas e instituições visitem o CAO e se lembrem da sua existência uma vez que estão cá para progredir.

A presidente da associação acrescentou que ainda se encontram muitas barreiras físicas e psicológicas no que toca às pessoas portadoras de algum tipo de deficiência e que é necessário que se adaptem e se melhorem os acessos bem como as mentalidades das pessoas no que respeita à deficiência e à diferença.

Liliana Andrade/RL Açores

 

Deixe uma resposta