“Anterior Governo da República não tinha qualquer plano para a Base das Lajes”, lamentou Lara Martinho

A Deputada do PS/Açores questionou o governo nacional sobre o processo da Base das Lajes e sobre o contributo futuro que os Açores podem dar nas políticas públicas do país.

Na comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas da Assembleia da República, Lara Martinho manifestou satisfação por ver “espelhada, de forma clara, a temática da Base das Lajes nas Grandes Opções de Plano do Governo da República para 2016, ao contrário do que aconteceu com o anterior governo”.

“Nos últimos anos, o Governo da República manifestou, por diversas ocasiões, que estava a negociar com os EUA, mas o certo é que até hoje não conhecemos nenhum resultado destes trabalhos”, lamentou a deputada do PS.

Tendo em conta que estamos a cerca de um mês para a conclusão do relatório que o Secretário da Defesa dos EUA tem para apresentar ao Congresso norte-americano, Lara Martinho questionou o Ministro dos Negócios Estrangeiros sobre o “ponto de situação dos trabalhos” e sobre “o que pode ser desenvolvido pelo Governo da República, que venha ao encontro das pretensões legítimas da Região Autónoma dos Açores”.

“O Ministro dos Negócios Estrangeiros defendeu que o essencial é encontrar usos alternativos para que aquela infraestrutura, vital do ponto de vista estratégico e para o desenvolvimento económico e social do país, em particular dos Açores, se mantenha”, lembrando que a “possível utilização da Base das Lajes para instalar um centro de inteligência compete ao Congresso e à respetiva Administração norte-americana”, explicou Lara Martinho.

A deputada socialista sublinhou o “importante papel das comunidades Açorianas e Madeirenses espalhadas pelo mundo” e recordou que “nem sempre as Regiões Autónomas foram consideradas em todas as vertentes das políticas públicas nacionais e, em particular, no âmbito da política externa”, frisando que “não há dúvidas de que as regiões autónomas têm capacidade geoestratégica por aproveitar”.

“As Regiões Autónomas, em particular os Açores, devem fazer parte integrante da política europeia e externa de Portugal. As negociações que envolvem a Base das Lajes, localizada na ilha Terceira, são um bom exemplo de um processo no qual a Região Autónoma dos Açores pode e deve ser envolvida”, concluiu a deputada do PS/Açores na Assembleia da República, Lara Martinho.

GI PS Açores/RL Açores

Deixe uma resposta