Avelino Meneses considera que maior sucesso do ProSucesso será convencer as famílias de que a educação “é uma inequívoca prioridade”

O Secretário Regional da Educação e Cultura afirmou esta quinta-feira, em Angra do Heroísmo, que “o maior sucesso” do ProSucesso ocorrerá quando “contribuir para inculcar no seio de cada família a convicção de que a educação é uma inequívoca prioridade”, frisando que “o conhecimento é a base de tudo, do desenvolvimento e da própria liberdade”.

Avelino Meneses falava aos jornalistas sobre o Dia do ProSucesso, que será assinalado pela primeira vez na Região na segunda-feira, 14 de setembro.

Para Avelino Meneses, o “êxito” do ProSucesso – Açores pela Educação, Plano Integrado de Promoção do Sucesso Escolar, cuja avaliação estará a cargo de uma comissão a constituir, só será medido “a prazo”, acrescentando que “só poderá verdadeiramente ser aferida a sua utilidade no preciso dia em que aqueles que ingressam no sistema educativo e que dele beneficiem completarem todo o percurso letivo”.

Nesse sentido, salientou que a preocupação “no imediato” reside “na criação de condições para que o ProSucesso frutifique como pretendemos”, apontando como exemplos a existência de mais professores no sistema educativo, apesar da diminuição do número de alunos, o que “equivale a dizer que haverá maior apoio, maior acompanhamento”.

“No Básico, temos turmas mais pequenas, abaixo da dimensão nacionalmente definida. No Secundário, mas também no 2.º e 3.º ciclos do Básico, teremos mais soluções profissionalizantes”, nomeadamente cursos vocacionais, do Profij e profissionais, num número a rondar a centena e meia, acrescentou o Secretário Regional.

Por outro lado, Avelino Meneses salientou que os professores terão uma “formação útil”, porque “adequada aos fins em vista” que, entre outros aspetos, permitirá “o desenho de programas de superação” atendendo às diferenças dos alunos.

O Secretário Regional da Educação e Cultura, recordando as palavras que proferiu no dia em que assumiu funções, reafirmou que não desistirá de “construir uma escola complexa, mas necessária”, ou seja, “uma escola inclusiva, porque essa é uma obrigação democrática, mas também uma escola competitiva, porque essa é uma garantia de desenvolvimento”.

“É preciso alimentar a crença de que todas as crianças e de que todos os jovens podem aprender juntos, embora com base na experimentação de ritmos e de processos diferenciados de aprendizagem, dependentes da revelação de necessidades educativas temporárias ou permanentes”, afirmou.

Nesta medida, no primeiro dia de aulas nos Açores – o Dia do ProSucesso – em cada escola do arquipélago, os intervenientes no processo de aprendizagem farão, através da partilha de ideias, “uma reflexão sobre soluções mais adequadas ao cumprimento da sua missão”.

Nas 40 unidades orgânicas que compõem o Sistema Educativo Regional vão ser desenvolvidas atividades, organizadas por cada um dos estabelecimentos de ensino, com alunos, docentes, pais e restante comunidade educativa com o objetivo de divulgar o ProSucesso, programa que já proporcionou a realização de uma dezena de ações de formação, envolvendo 660 formandos, de acordo com a Diretora Regional da Educação.

Fabíola Cardoso, que também participou no encontro com os jornalistas, adiantou que, na próxima semana, inserida na estratégia de mobilização da comunidade para a implementação do ProSucesso e, sobretudo, com vista a sensibilizar os jovens e as famílias para a importância da escola na construção dos projetos de vida, terá início nos meios de comunicação institucionais e nas redes sociais uma campanha mediática.

Além de uma página ProSucesso na Internet e de uma presença no Facebook e no Instagram, a campanha assentará, entre outros materiais, em testemunhos de diversas pessoas de diferentes ilhas e com percursos profissionais e escolares diferenciados, especificou a Diretora Regional.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta