Casa de Repouso João Inácio de Sousa com falta de enfermeiros – “Situação de ruptura” alerta Diretor Técnico (c/ áudio)

A Casa de Repouso João Inácio de Sousa encontra-se, desde agosto, com uma redução de cerca de 50% dos enfermeiros.

Nelson Correia, Diretor Técnico desta Instituição, afirma que há concurso aberto há três meses para três enfermeiros, no entanto, as vagas não são preenchidas.

O problema está nas condições que oferece a Função Pública, onde estes profissionais têm mais regalias e melhores ordenados.

Posto esta situação, os utentes têm de se dirigir ao Centro de Saúde de Velas para fazerem os seus pensos diários.

Há uns dias atrás, doze foram acompanhados pela Assistente Social da Instituição e pela psicóloga mas também seis utentes acamados tiverem de ir ao Centro de Saúde, com o apoio dos Bombeiros. Nelson Correia diz que a Instituição de momento só consegue prestar cuidados mínimos de enfermagem.

Também a Unidade de Saúde de Ilha enfrenta o mesmo problema: a falta destes profissionais de Saúde.

Nelson Correia afirma que têm havido negociações, no entanto, também o Centro de Saúde não consegue dar resposta.

Para concluir, Nelson Correia diz estar confiante. O vice-presidente do Governo Regional dos Açores afirmou que estão haver negociações entre os sindicatos e o próprio Governo, no entanto, esta é uma situação urgente, porque o Lar encontra-se em situação de ruptura.

A Rádio Lumena ouviu a Enfermeira Chefe do Centro de Saúde de Velas, Maria dos Santos Silva, que diz que os enfermeiros fazem muitas horas extras, há alguns profissionais que estão de férias e que os que ficam, não conseguem dar resposta ao serviço no Centro de Saúde.

Toda esta situação causa transtorno, quer ao Centro de Saúde, aos utentes e ao próprio Lar de Idosos.

Na Unidade de saúde, existe apenas um enfermeiro que assegura vários serviços, explica Maria dos Santos Silva.

Haverá esta sexta-feira uma reunião entre o Diretor Técnico da Casa de Repouso João Inácio de Sousa, e o Gabinete de Enfermagem do Centro de Saúde de Velas, a fim de se encontrar uma solução para este problema, que se arrasta deste agosto e que já é tido como uma situação de ruptura.

Laura Cabral/RL Açores

Deixe uma resposta