CIVISA disponibiliza Carta de Sismicidade dos Açores de 2022

 

O Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA), em colaboração com o Instituto de Investigação em Vulcanologia e Avaliação de Riscos (IVAR) da Universidade dos Açores, publicou terça-feira no seu site, a Carta de Sismicidade dos Açores de 2022.

Esta publicação surge na sequência do compromisso assumido em 2018 de disponibilizar, anualmente, a Carta de Sismicidade dos Açores numa plataforma acessível e de forma gratuita.

Para este período, o CIVISA registou 52.985 sismos, dos quais 25.532 obtiveram localização hipocentral e encontram-se projetados na Carta de Sismicidade dos Açores 2022. Para os restantes eventos sísmicos, devido ao facto de serem muito pouco energéticos e não terem sido detetados por um número suficiente de estações, não foi possível obter localização.

Em termos de distribuição geográfica, a maioria da sismicidade ocorreu na ilha de São Jorge e região submarina envolvente, relacionada com a crise sismovulcânica em curso na referida ilha, onde se registaram 42.543 sismos, 22.763 dos quais com localização.

A zona sismogénica associada ao Vulcão de Santa Bárbara, na ilha Terceira, esteve igualmente bastante ativa durante 2022, sendo responsável pela crise sísmica que ainda decorre à atual data, com 1100 sismos localizados durante 2022.

Na zona sismogénica a W do Faial, localizaram-se 344 sismos, sendo a 3ª zona mais ativa em 2022.

Para o Presidente da Direção do CIVISA, Rui Marques, com esta ação pretende-se promover uma maior consciencialização em relação aos perigos naturais, diminuindo o desfasamento existente entre o conhecimento científico e a população, fomentando uma sociedade mais sustentável e cidadãos cientificamente mais cultos.