Duarte Freitas assegura “distribuição equilibrada” de fundos comunitários

O presidente do PSD/Açores assegurou hoje que vai fazer uma “distribuição equilibrada” dos fundos comunitários, dando à iniciativa privada a “devida importância”.

“O governo do PSD/Açores vai trabalhar para uma distribuição equilibrada dos mais de 1.500 milhões de fundos comunitários de que a Região beneficia até 2020. Vamos reafectar as verbas relativas ao Programa Operacional dos Açores 2014-2020, para que os empresários e a sociedade civil tenham um acesso significativo aos fundos europeus e deem a sua imprescindível contribuição para o desenvolvimento dos Açores”, afirmou Duarte Freitas, em conferência de imprensa, no final das jornadas parlamentares dos deputados do PSD no Parlamento Europeu.

O líder dos social-democratas açorianos garantiu que um governo liderado por si vai “reforçar o papel das associações empresariais na gestão dos sistemas de incentivos e mudar o modelo socialista que está a asfixiar a capacidade empreendedora dos açorianos”.

“É essencial acabar com o sufoco da governação socialista, que fez com que o governo regional e outras entidades públicas tenham gerido 80 por cento dos fundos comunitários de que a Região beneficiou entre 2007 a 2013, ficando a sociedade civil apenas com migalhas. Vamos alterar este estado de coisas, porque acreditamos na capacidade de iniciativa dos açorianos”, disse.

Para Duarte Freitas, “um empresário com uma ideia deve dirigir-se às associações empresariais regionais quando quer lançar o seu negócio e não a um gabinete governamental”.

O presidente do PSD/Açores salientou que o facto da governação socialista ter decidido canalizar a maior parte dos recursos financeiros disponíveis para as entidades públicas ou ligadas ao setor público “retira capacidade à iniciativa privada e impede o surgimento de novas empresas e negócios”.

“Nos últimos anos, nos Açores, a governação do PS esqueceu-se que são as empresas que criam riqueza, geram emprego e fazem crescer a economia”, frisou.

O líder dos social-democratas açorianos referiu igualmente que “com os fundos comunitários que temos e tivemos ao nosso dispor, exige-se muito mais”.

“Nos Açores, com o apoio da União Europeia, construíram-se novas escolas, novos hospitais, estradas, portos e aeroportos. Contudo, continuamos com várias dificuldades na sociedade e economia da nossa Região”, lembrou.

Duarte Freitas recordou o “desemprego muito elevado” que persiste nos Açores, o desemprego jovem “que é o dobro da União Europeia”, uma Saúde que “tem piorado”, uma Educação com “indicadores trágicos”, as pescas “com problemas e o coração da economia dos Açores, a produção leiteira, em risco”.

“Um regime socialista de vinte anos que recebeu tanto dinheiro devia ter criado resultados bem melhores para os açorianos”, sublinhou.

O presidente do PSD/Açores garantiu que quer “oferecer um novo governo aos Açores, mudando o que está mal e mantendo o que está bem”.

“Queremos um novo governo para os Açores que veja os açorianos como agentes do futuro e que faça da sua força a força de todo um povo que quer mais”, afirmou.

O líder dos social-democratas açorianos aproveitou ainda a ocasião para a agradecer a “solidariedade e apoio dos deputados europeus do PSD e, desde logo, da nossa deputada Sofia Ribeiro” na defesa dos interesses dos Açores junto das instâncias comunitárias.

GI PSD Açores/RL Açores

Deixe uma resposta