Governo determinado em utilizar verbas comunitárias para aumentar competitividade da Agricultura

O Presidente do Governo dos Açores assegurou hoje que o seu Executivo está determinado em desenvolver políticas e medidas que garantam o melhor aproveitamento possível das verbas comunitárias ao dispor da agricultura até 2020, com objetivo de aumentar a competitividade deste setor.

“O Governo dos Açores recolheu os contributos de todas as associações representativas da agricultura açoriana para a construção e apresentação de propostas de arquitetura dos novos POSEI e PRORURAL+, que vão agora ser negociadas, com maior detalhe, com as instituições comunitárias”, afirmou Vasco Cordeiro, que falava na abertura do Seminário “Agricultura Familiar versus Agricultura Sustentável”, promovido no âmbito das comemorações do Ano Internacional da Agricultura Familiar.

Segundo disse, o novo Programa de Desenvolvimento Rural (PRORURAL+) prevê uma dotação de aproximadamente 73 milhões de euros, exclusivamente destinados a compensar os produtores dos Açores pelas dificuldades de produção em zonas com condicionantes naturais específicas, conforme está previsto na PAC.

Na sua intervenção, Vasco Cordeiro adiantou, por outro lado, que, no âmbito das práticas de produção sustentáveis, a Região, no anterior Quadro Comunitário de Apoio, ultrapassou largamente as metas comunitárias estabelecidas para as medidas relacionadas com a melhoria do ambiente e da paisagem. Tendo como referência os valores que a União definiu na ordem dos 25 por cento, os Açores conseguiram realizar cerca de 40 por cento.

Ao salientar que o Executivo considera esta preocupação ambiental como prioritária, Vasco Cordeiro anunciou que o Governo dos Açores “reservou, no próximo período de programação financeira, uma dotação de cerca de 65 milhões de euros apenas para medidas agro-ambientais”.

“Nesta área específica do ambiente, a formação de ativos é, também, um aspeto essencial”, adiantou Vasco Cordeiro, ao exemplificar que, só este ano, já foi facultada formação, em praticamente todas as ilhas da Região, a cerca de dois mil agricultores em domínios relativos à exploração sustentável das suas unidades de produção.

O Presidente do Governo manifestou-se também convicto de que o potencial da agricultura para gerar riqueza na Região está longe de estar esgotado, sobretudo, em áreas que ainda estão por explorar do aproveitamento do tradicional “saber fazer” adquirido ao longo de várias gerações e a sua ligação a novos desafios técnicos e de gestão empresarial, imprescindíveis explorações modernas e competitivas.

“No início deste mês, renovámos a linha de crédito bonificado pelo Governo dos Açores que já permitiu aos nossos agricultores açorianos adquirir cerca de 1.400 hectares de terreno agrícola”, adiantou Vasco Cordeiro, para quem este apoio, associado aos incentivos à modernização e à instalação de jovens agricultores na atividade – cerca de 57 milhões de euros para a modernização e mais de 8 milhões para a instalação de jovens agricultores, no quadro comunitário que agora finda -, sustentam a convicção de que o setor continuará a contribuir para a criação de riqueza nos Açores”.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta