Life Ip Azores Natura continua a prospeção das aves marinhas no Ilhéu do Topo

No âmbito das ações C6.1 – “Restauro de habitats para as aves marinhas nos ilhéus” e D5.1 “Monitorização de habitats terrestres, espécies e problemas de conservação” do projeto LIFE IP AZORES NATURA, uma equipa da Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA) e da Secretaria Regional do Ambiente e Alterações Climáticas instalou 103 ninhos artificiais, feitos de barro, no Ilhéu do Topo, escolhendo a zona mais promissora do ilhéu para aumentar a probabilidade de ocupação dos ninhos.

Foi ainda realizada a prospeção noturna acústica passiva, com deteção de cagarros (𝘊𝘢𝘭𝘰𝘯𝘦𝘤𝘵𝘳𝘪𝘴 𝘣𝘰𝘳𝘦𝘢𝘭𝘪𝘴), estapagados (𝘗𝘶𝘧𝘧𝘪𝘯𝘶𝘴 𝘱𝘶𝘧𝘧𝘪𝘯𝘶𝘴) e painhos de Monteiro (𝘏𝘺𝘥𝘳𝘰𝘣𝘢𝘵𝘦𝘴 𝘮𝘰𝘯𝘵𝘦𝘪𝘳𝘰𝘪), bem como a prospeção de ninhos na área de nidificação de procellariiformes, a qual foi determinada através da prospeção acústica. Deste modo, foi possível confirmar a nidificação do cagarro e do painho de Monteiro no ilhéu, georreferenciando vários ninhos com adultos e ovos. Um dos ninhos de painho de Monteiro estava ocupado por um indivíduo anilhado no Ilhéu de Baixo, Graciosa, pelo investigador Luís Monteiro em 1999, tendo pelo menos 24 anos.

A equipa do Serviço de Ambiente e Alterações Climáticas de São Jorge confirmou ainda a nidificação de garajaus (𝘚𝘵𝘦𝘳𝘯𝘢 spp.) no ilhéu, identificando 25 ninhos, três dos quais com cria, e os restantes com ovo(s).

SRAAC/RL