Município das Velas e Governo Regional destacam palavras como “resiliência” e “persistência” no caminho até à inauguração da Sede da Banda Filarmónica de Santo Amaro (c/áudio)

Foi em 2009 que foi demolida a então Sociedade Recreio Amarense, sede da Filarmónica pertencente a esta sociedade, sob a promessa de construção de um novo edifício. Um processo que se arrastou entre burocracias, entraves legais e que levou ao abandono inclusive desta obra que ficou por muito tempo conhecida como “caixote”.

Agora, volvidos todos estes anos, é inaugurada a nova sede da Banda Filarmónica de Sant Amaro que entre 2014 e 2015 por motivos legais foi integrada na Casa do Povo de Santo Amaro e alterou a sua denominação para Filarmónica de Santo Amaro.

Com um investimento na ordem dos 500 mil euros, suportado a meia pela Câmara Municipal das Velas e pelo Governo Regional dos Açores, Luís Silveira, o presidente do Município, frisou a importância deste investimento que, na sua opinião, já está pago por todo o trabalho que tem sido desenvolvido pela Casa do Povo e pela sua Filarmónica.

Luís Silveira evidenciou ainda o papel de Roger Sousa, o presidente da Junta de Freguesia de Santo Amaro, elogiando a persistência do mesmo perante a autarquia em retomar e concluir esta obra na freguesia.

O autarca velense deixou ainda rasgados elogios ao Arquiteto do Município e ao Gabinete Técnico pelo trabalho desenvolvido, deixando ainda uma palavra de grande apreço ao empreiteiro José Laurindo que, com todos os percalços, inclusive um acidente de trabalho da qual o próprio empreiteiro foi vítima no decorrer desta obra, conseguiu levar a mesma a bom porto.

Luís Silveira que referiu ainda as próximas obras a concretizar na freguesia de Santo Amaro, nomeadamente na sede da Junta de Freguesia e a reabilitação da Escola Primária que contará com um investimento também na ordem dos 500 mil euros suportado pelo Município das Velas e pelo Governo Regional dos Açores.

Presente na inauguração deste novo edifício da Banda Filarmónica de Santo Amaro esteve Duarte Freitas, Secretário Regional das Finanças, em representação do Presidente do Governo Regional, que destacou o empreiteiro José Laurindo e a Direção atual e anteriores da Casa do Povo pelo exemplo de resiliência e persistência que consistem nesta obra agora inaugurada.

Duarte Freitas que enalteceu o papel dos jovens nas Bandas Filarmónicas evidenciou ainda a importância que estas têm em particular na ilha de São Jorge. Para o governante, as filarmónicas são verdadeiras “escolas de vida”, destacando variados pormenores desta nova Sede da Filarmónica de Santo Amaro.

Duarte Freitas aproveitou ainda para contestar críticas relativamente à atuação deste Governo no setor da Cultura.

A cerimónia de inauguração da Sede da Banda Filarmónica de Santo Amaro contou ainda com a atuação da Filarmónica e com a atuação do Bailinho de Carnaval da Casa do Povo.

Luís Silveira
Duarte Freitas

Foi em 2009 que foi demolida a então Sociedade Recreio Amarense, sede da Filarmónica pertencente a esta sociedade, sob a promessa de construção de um novo edifício. Um processo que se arrastou entre burocracias, entraves legais e que levou ao abandono inclusive desta obra que ficou por muito tempo conhecida como “caixote”.

Agora, volvidos todos estes anos, é inaugurada a nova sede da Banda Filarmónica de Sant Amaro que entre 2014 e 2015 por motivos legais foi integrada na Casa do Povo de Santo Amaro e alterou a sua denominação para Filarmónica de Santo Amaro.

Com um investimento na ordem dos 500 mil euros, suportado a meia pela Câmara Municipal das Velas e pelo Governo Regional dos Açores, Luís Silveira, o presidente do Município, frisou a importância deste investimento que, na sua opinião, já está pago por todo o trabalho que tem sido desenvolvido pela Casa do Povo e pela sua Filarmónica.

Luís Silveira evidenciou ainda o papel de Roger Sousa, o presidente da Junta de Freguesia de Santo Amaro, elogiando a persistência do mesmo perante a autarquia em retomar e concluir esta obra na freguesia.

O autarca velense deixou ainda rasgados elogios ao Arquiteto do Município e ao Gabinete Técnico pelo trabalho desenvolvido, deixando ainda uma palavra de grande apreço ao empreiteiro José Laurindo que, com todos os percalços, inclusive um acidente de trabalho da qual o próprio empreiteiro foi vítima no decorrer desta obra, conseguiu levar a mesma a bom porto.

Luís Silveira que referiu ainda as próximas obras a concretizar na freguesia de Santo Amaro, nomeadamente na sede da Junta de Freguesia e a reabilitação da Escola Primária que contará com um investimento também na ordem dos 500 mil euros suportado pelo Município das Velas e pelo Governo Regional dos Açores.

Presente na inauguração deste novo edifício da Banda Filarmónica de Santo Amaro esteve Duarte Freitas, Secretário Regional das Finanças, em representação do Presidente do Governo Regional, que destacou o empreiteiro José Laurindo e a Direção atual e anteriores da Casa do Povo pelo exemplo de resiliência e persistência que consistem nesta obra agora inaugurada.

Duarte Freitas que enalteceu o papel dos jovens nas Bandas Filarmónicas evidenciou ainda a importância que estas têm em particular na ilha de São Jorge. Para o governante, as filarmónicas são verdadeiras “escolas de vida”, destacando variados pormenores desta nova Sede da Filarmónica de Santo Amaro.

Duarte Freitas aproveitou ainda para contestar críticas relativamente à atuação deste Governo no setor da Cultura.

A cerimónia de inauguração da Sede da Banda Filarmónica de Santo Amaro contou ainda com a atuação da Filarmónica e com a atuação do Bailinho de Carnaval da Casa do Povo.

Deixe um comentário