Vasco Cordeiro destaca importância da união entre a produção e a indústria para o setor leiteiro vencer tempos desafiantes

O Presidente do Governo dos Açores destacou esta terça-feira o trabalho desenvolvido pelos produtores de leite da Região e pela indústria de lacticínios na promoção da qualidade, um compromisso entre as várias partes desta fileira que se apresenta como essencial para vencer os tempos desafiantes que se vivem no setor.

Depois de assistir ao lançamento do novo produto ‘Leite de Pastagem’, no âmbito do Programa da BEL Portugal ‘Vacas Felizes’, que envolve produtores açorianos, Vasco Cordeiro salientou que a mensagem desta iniciativa valorizadora da qualidade deve chegar à Comissão Europeia, no sentido de demonstrar que não é por causa dos produtores de leite e da indústria que o setor está a atravessar o atual momento desafiante.

“A raiz do problema não está na produção, mas sim ao nível do escoamento, da comercialização e da exportação” de produtos lácteos e, perante isso, as instâncias comunitárias encaminham-se para adotar medidas de retração da produção, afirmou o Presidente do Governo, que falava no encerramento da mesa redonda ‘Diferenciar com Valor no Mercado de Leite e Lacticínios em Portugal’.

O Presidente do Governo, que antes tinha inaugurado a nova linha de produção da fábrica da Ribeira Grande, defendeu a “necessidade de se ambicionar e de se lutar para que, com as condições e com o potencial existente, podermos efetivamente ser bem-sucedidos”.

Segundo disse, o investimento desenvolvido por esta indústria constitui, também, uma demonstração de esperança e de confiança no setor leiteiro dos Açores, numa altura particularmente desafiante para o setor, através de um projeto que encarna um compromisso entre produção e transformação.

“O compromisso dos produtores fazerem bem aquilo que sabem fazer bem, produzir com qualidade. O compromisso da parte da transformação de valorizar este ativo que lhes é entregue nas fábricas, tratando-o da melhor forma possível e remunerando o trabalho e a aposta dos produtores”, disse.

“O terceiro valor tem a ver com a aposta nos recursos próprios da Região. É com gosto que vemos este evidenciar daquilo que, na Região Autónoma dos Açores, fruto de um trabalho e de um percurso de muitos anos, foi possível aperfeiçoar e alcançar”, destacou Vasco Cordeiro.

“Nós somos Açorianos privilegiados por vivermos na terra em que vivemos e acreditamos que também são privilegiados aqueles que têm a oportunidade de partilhar connosco os frutos desta terra”, frisou.

Face à atual conjuntura, o Governo dos Açores aprovou, no final de 2015, um pacote de medidas de apoio ao setor leiteiro, que ascenderam a cerca de cinco milhões de euros, montante que é superior ao total de ajudas que a União Europeia atribuiu a todo o país.

Além destas e de várias outras medidas, recentemente o Governo implementou um Programa de Reestruturação do Setor Leiteiro que prevê uma compensação financeira aos produtores de leite da Região que pretendam abandonar definitiva e integralmente a produção.

Foi também criado um apoio à agricultura açoriana, através de uma linha designada de SAFIAGRI III, destinada a compensar os encargos financeiros bancários, com juros e imposto de selo, relativos a empréstimos aplicados em investimentos nas explorações agrícolas da Região.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta