“A Música e o Mundo – Encontros Sonoros Atlânticos” com estreia mundial na Fajã da Fragueira (c/ áudio)

Aconteceu na passada terça-feira, na Fajã da Fragueira, um concerto de acordeão, pelo artista João Barradas, no âmbito do ciclo “A Música e o Mundo – Encontros Sonoros Atlânticos” que se realiza entre 21 de Agosto e 18 de Setembro, com cinco concertos em Portugal Continental e nos Açores.

No que respeita ao evento da Fajã da Fragueira, o programador, Vasco Mendonça, afirma que trata-se de uma estreia mundial, pois nunca antes tinha acontecido um concerto na Fajã da Fragueira e também é a primeira vez que é interpretada a “Canção Triste” do compositor Jorgense Francisco de Lacerda em acordeão.

Vasco Mendonça faz um balanço muito positivo do evento na Fajã da Fragueira, uma vez que, é necessário andar quase três quilómetros a pé até ao local do concerto. Afirma que foi único.

O ciclo prossegue, de seguida com concertos na ilha Terceira e São Miguel, sendo sempre interpretadas obras de Francisco de Lacerda, por diferentes artistas.

Por sua vez, o acordeonista, João Barradas, fala sobre as peças que interpretou no concerto na Fajã da Fragueira.

Refere que o maior desafio foi a transcrição para acordeão do Obra “Canção Triste” composta por Francisco de Lacerda para piano.

João Barradas mostra-se feliz por ter feito parte de uma estreia mundial, que é a de mostrar à plateia o arranjo para acordeão da obra de Francisco de Lacerda, tocada nas ruínas da sua casa, onde nasceu e viveu, na Fajã da Fragueira.

Ciclo “A Música e o Mundo – Encontros Sonoros Atlânticos” cuja programação, está a cargo do compositor e programador Vasco Mendonça, e inclui uma série de recitais, pensados a partir da obra do compositor, musicólogo e maestro açoriano Jorgense Francisco de Lacerda (1869–1934), que serviu de estímulo para a criação de novas peças.

Laura Cabral/RL Açores

Deixe uma resposta