“Ligados pela Dança” juntou em palco jorgenses e brasileiros em danças tradicionais com uma mistura de contemporaneidade (c/áudio)
Paula Sequeira Amarante – Grupo Etnográfico da Beira
Flávio Azeredo – Grupo “Herança”

O evento “Ligados pela dança” juntou em palco danças tradicionais jorgenses, mais concretamente o Folclore, com as danças tradicionais brasileiras, com um toque de contemporaneidade pelo Grupo de Dança jorgense Gimni Centro.

Em palco, no Auditório Municipal das Velas, no passado dia 1 de maio, estiveram, assim, o Grupo Etnográfico da Beira, o Grupo de Folclore dos Rosais, o Gimni Centro e o Grupo “Herança” do Rio Grande do Sul, vindo do Brasil.

A organização deste evento ficou a cargo do Grupo Etnográfico da Beira, com o apoio do Município das Velas, com Paula Sequeira Amarante, responsável pelo Grupo a explicar como surgiu esta iniciativa.

Apesar das diferenças de estilo, a dança acabou por levar à união destes três grupos, como salientou Paula Sequeira Amarante.

Uma correria e um rodopio para juntar em palco cerca de 100 bailarinos numa mistura também de gerações.

O Grupo “Herança” do Rio Grande do Sul, vindo do Brasil, veio à Terceira participar do Dia Mundial da Dança e vir a São Jorge participar neste evento organizado pelo Grupo Etnográfico da Beira foi uma ótima oportunidade e notícia para este Grupo que também dança Folclore Açoriano há 35 anos, tal como explicou Flávio Azeredo, o responsável pelo Grupo brasileiro.

O responsável pelo Grupo “Herança” destacou ainda a receção e toda a vivência e troca de experiências em São Jorge.

Em aberto, por parte de Paula Sequeira Amarante do Grupo Etnográfico da Beira, ficou ainda a possibilidade de Flávio Azeredo voltar a São Jorge de forma a promover um Workshop de Dança.

 

 

 

 

RL Açores

Fotografias: (c)GEB