Comissão Europeia não pode continuar “sem agir” no setor do leite, afirma Luís Neto Viveiros 

O Secretário Regional da Agricultura e Ambiente afirmou, na Praia da Vitória, que o preço do leite pago ao produtor “não pode continuar a descer”, considerando, por isso, que a Comissão Europeia “não pode continuar a ignorar que o mercado está inundado de leite e de produtos láteos, sem agir”.

Luís Neto Viveiros frisou que “o boicote da Federação Russa e a retração de importações por parte da China e de Angola – destino de 80% das exportações de produtos lácteos portugueses fora da Europa”, contrariaram “as perspetivas mais otimistas dos defensores do fim do regime de quotas leiteiras”.

“Neste cenário adverso para o escoamento do leite e derivados que as unidades fabris enfrentam, de facto, o custo da instabilidade dos mercados não pode ser apenas imputado à produção”, defendeu Neto Viveiros, que falava sexta-feira na abertura da Feira Agrícola Açores 2015.

Na sua intervenção, frisando que é “a mesma produção a que se exige investimento e qualidade”, o titular da pasta da Agricultura considerou que, em particular “para regiões ultraperiféricas e de montanha, têm que ser criados mecanismos adicionais neste período de transição”.

Luís Neto Viveiros destacou o apoio manifestado na última Conferência dos Presidentes das Regiões Ultraperiféricas, em Guadalupe, por proposta do Governo dos Açores, a esta pretensão e realçou também a aprovação recente de propostas dos deputados europeus em defesa do setor.

O Secretário Regional frisou, nomeadamente, que esta semana, num “esforço conjunto de pressão e influência”, o eurodeputado Ricardo Serrão Santos, responsável pelo ‘relatório do leite’, “reuniu apoios na Comissão de Agricultura do Parlamento Europeu para solicitar o reforço do envelope do POSEI”, uma de várias medidas propostas que deverão ser debatidas na próxima sessão plenária.

“Neste esforço, o Estado Português tem de, inequivocamente, apoiar as justas pretensões dos Açores junto da Comissão Europeia”, afirmou o governante, lamentando que “no Conselho Europeu de Ministros da Agricultura, agendado para a próxima semana, a questão do leite – da maior emergência – não faça parte da ordem de trabalhos”.

“Estamos, ainda assim, convictos na resiliência do setor, para, numa conjugação de esforços, vencer os novos desafios”, afirmou Neto Viveiros, assegurando que “o Governo dos Açores não vai abdicar da sua posição reivindicativa, persistente, junto do Estado Membro e das instâncias comunitárias”, nem “se exclui” deste esforço.

Nesse sentido, anunciou que “estão já em fase final de negociações com a banca os protocolos que sustentarão uma linha de crédito destinada a reforçar a competitividade das explorações agrícolas açorianas, através da bonificação dos juros”.

Para o Secretário Regional, trata-se “de mais um instrumento que visa fomentar uma política sustentável de investimentos no setor agrícola, reforçando a capacidade financeira das explorações para fazer fase aos investimentos programados e fortalecer o seu fundo de maneio”.

Luís Neto Viveiros revelou também que, em consequência do I Fórum do Leite, criado para “aproximação e debate de todos os intervenientes da fileira”, vai ser apresentada no próximo encontro, a realizar na Terceira, “uma plataforma por parte do IAMA que vai congregar e disponibilizar toda a informação relevante para o setor”.

“Desde as oscilações dos preços, a níveis de produção e custos de produção”, adiantou.

Na intervenção que proferiu na inauguração da Feira Açores 2015, o Secretário Regional salientou que, até domingo, “a Praia da Vitória é a montra da agricultura açoriana”, acrescentando que, com o financiamento da realização anual desta feira, o Governo pretende criar “oportunidades de negócio” e promover “a excelência e as caraterísticas que distinguem os nossos produtos”.

A Feira Agrícola Açores, o maior certame do género na Região, decorreu até este domingo, das 10h00 à meia-noite, na Zona da Marina da Praia da Vitória, ocupando uma área coberta de 5.300 m2.

No âmbito da feira, decorrereu o XIII Concurso Micaelense da Raça Holstein Frísia, que conta com a participação de mais de 200 animais oriundos de diversas ilhas, estando presentes cerca de 80 expositores nos pavilhões agro-comercial e institucional.

O programa da feira incluiu concursos de gado de leite e de carne, queijo, mel, horto-fruti-florícolas, equinos e canídeos, provas de vinhos, palestras e cursos, além de espetáculos equestres e de animação promovida por grupos locais, podendo ser consultado no endereço eletrónico http://www.azores.gov.pt/Gra/DRA+-+Feira+Agr%C3%ADcola+A%C3%A7ores+2015/.

São parceiros do Governo dos Açores na organização da Feira Agrícola Açores 2015 a Associação Agrícola e de Jovens Agricultores da Ilha Terceira, a Câmara de Comércio de Angra do Heroísmo, a Câmara Municipal da Praia da Vitória e a Associação Açoriana de Criadores de Cavalos.

O evento contou ainda com o apoio da Federação Agrícola dos Açores, da FRUTER, do Núcleo de Criadores de Bovinos de Raças de Carne da Ilha Terceira e da Associação Portuguesas de Criadores da Raça Holstein Frísia.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta