É ponto de honra do Governo dos Açores não deixar ninguém para trás, afirma Sérgio Ávila 

O Vice-Presidente do Governo afirmou hoje, na Horta, ser “ponto de honra” do Executivo “não deixar ninguém para trás”, razão pela qual elegeu o combate ao desemprego como “principal prioridade desta legislatura”.

Sérgio Ávila, que falava na Assembleia Legislativa no decorrer de uma interpelação sobre programas ocupacionais, salientou que também foi por essa razão que o Governo dos Açores criou programas de apoio a “todo e qualquer Açoriano sem emprego, sem meios de subsistência ou em dificuldades”.

“Ao longo deste mandato procurámos sempre, no limite dos nossos recursos e das nossas competências, as respostas mais eficazes para os problemas que afetaram a nossa economia, as nossas empresas e as nossas famílias”, afirmou, sublinhando o facto de haver hoje mais 6.128 Açorianos empregados do que no início da legislatura.

Sérgio Ávila frisou que o resultado alcançado “ainda não satisfaz por completo, porque um Açoriano sem emprego é um motivo de preocupação”, apontando o conjunto de programas de estímulo à atividade económica e de incentivo à criação de emprego, bem como de combate ao desemprego de longa duração, promovendo o aumento das qualificações e habilitações das pessoas.

O Vice-Presidente do Governo revelou que, apenas no âmbito de três programas (Integra, PIIE e CPE Premium), o Executivo comparticipou as empresas açorianas na criação de 3.423 novos empregos.

“Mas não foram esquecidos os Açorianos menos qualificados”, afirmou, acrescentando que, por via do seu reencaminhamento para processos formativos profissionais adequados às necessidades do mercado, muitos puderam alcançar, “com a sua legítima ambição e o seu trabalho, níveis de escolaridade do 9.º ou do 12.º ano, qualificando-se melhor e posicionando-se com maiores possibilidades no mercado de trabalho”.

Na sua intervenção, Sérgio Ávila aludiu ainda a medidas de apoio a desempregados que não auferem subsídio de desemprego, citando, como exemplo, o RECUPERAR, que “se tem revelado de grande importância” para assegurar a reentrada no mercado de trabalho e, ao mesmo tempo, possibilitar a autarquias a concretização “dos mais variados projetos, cuja prossecução também dificilmente seria possível sem a sua participação”.

“Contribuímos para devolver a muitos Açorianos a esperança, o orgulho, a autoestima e, essencialmente, para os tornar ativos e participativos no processo de desenvolvimento da Região”, afirmou Sérgio Ávila.

Para o Vice-Presidente do Governo,” o grande esforço no sentido de promover a empregabilidade” tem resultado em sinais positivos, salientando que “as empresas estão a corresponder muito bem, criando novos empregos a um ritmo encorajador”.

Sérgio Ávila assegurou que o investimento nesta área vai prosseguir, revelando que, “em programas de promoção da empregabilidade e de apoio a desempregados, nos diferentes graus de desproteção com que poderiam vir a defrontar-se sem uma intervenção decidida do Governo dos Açores, vamos investir este ano cerca de 62 milhões de euros.”

“Disse investir. E disse bem, pois sempre encarámos cada cêntimo aplicado nessas áreas como um investimento no nosso futuro coletivo”, frisou Sérgio Ávila, garantindo que o Governo dos Açores está “ainda mais animado com os sinais positivos que a economia regional vai dando de estar no bom caminho”.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta