Destaque Local

Governo iniciou visita a São Jorge com reunião na Calheta e primeira edição do Fórum Autonómico de 2022

O Governo Regional dos Açores iniciou na quarta-feira uma visita estatutária à ilha de São Jorge, arrancando os trabalhos com uma reunião com o Executivo camarário da Calheta, a que se seguiu a primeira edição deste ano do Fórum Autonómico.

Na reunião com o corpo camarário, liderado por Décio Pereira, o Executivo Regional mostrou o “dito e o feito”, nomeadamente no que refere às acessibilidades aéreas e marítimas, respondendo a “antigas ambições” dos jorgenses.

Na Saúde, estão a ser reforçadas “as condições no Centro de Saúde de Calheta de São Jorge, com uma aposta no aumento de profissionais de saúde”.

“Foram abertos concursos para mais dois médicos e um regressou. Foi também aberto um concurso para a contratação de mais dois psicológicos e de um terapeuta da fala de apoio à escola”, sublinhou o Presidente do Governo, acrescentando que, no campo agrícola, para o novo matadouro da ilha, a instalar na Calheta, mas que “servirá a ilha inteira”, a entrega de propostas do concurso público termine a 11 de agosto.

“É um investimento na área da lavoura, com um impacto significativo. Impõe-se uma opção estrutural de um novo matadouro”, disse José Manuel Bolieiro.

Já o Fórum Autonómico, que se realizou no Museu Francisco Lacerda, também na Calheta, teve como orador convidado o engenheiro Pedro Batista, Diretor Regional das Comunicações e Transição Digital, que apresentou a conferência “Digitalização: Do Queijo às Fajãs”.

Na sua intervenção, a fechar a sessão, o Presidente do Governo sublinhou que as visitas estatutárias consistem numa “forma feliz de o processo autonómico assegurar” uma maior “proximidade das populações”.

“Há um esforço de prestação de contas e de ouvir com humildade democrática os representantes do povo nos órgãos eleitos. E a esta oportunidade acrescenta-se o Fórum Autonómico, que a mudar o paradigma da relação com a cidadania”, prosseguiu José Manuel Bolieiro.

E concretizou: “Sou um político que procura, liderando este Governo, potenciar esta forma de estar na vida política e de relação com as nossas ilhas, o nosso povo”.

Posteriormente, e depois de elogiar o povo jorgense, o governante elencou os vários elementos distintivos da ilha, casos das fajãs, do queijo ou do atum, defendendo que estes devem ser “elementos de progresso e não apenas momentos de memória”.

“Há oportunidades de desenvolvimento e enquadramento no futuro e no progresso de São Jorge e dos jorgenses”, prosseguiu José Manuel Bolieiro, abordando ainda o impacto das novas tecnologias e dos nómadas digitais, por exemplo, na divulgação destes elementos.

“Um dos melhores queijos do mundo é o de São Jorge. Um dos melhores petiscos do marítimo-alimentar é o atum da Santa Catarina. E isto é motivo para podermos dizer que vale a pena juntar a isto os tempos de transição digital como elemento de valorização”, acrescentou também.

O Fórum Autonómico, cuja primeira edição decorreu com as visitas estatutárias de 2021, é um espaço de reflexão sobre a autonomia e desafios da mesma em diferentes áreas de intervenção, com impacto direto na sociedade, economia e bem-estar dos cidadãos açorianos.

GRA/RL Açores

Deixe uma resposta