Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima em São Jorge de 14 a 17 de fevereiro

A primeira ouvidoria a acolher a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima será a de Santa Maria. O périplo da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima no Arquipélago dos Açores termina na Sé Catedral, na Ilha Terceira, de onde vai sair pela Porta da Misericórdia .

Até lá a imagem segue o seguinte périplo: Santa Maria, de 7 a 9 de janeiro; São Miguel de 9 de janeiro a 2 de fevereiro; Flores de 2 a 5 de fevereiro; Corvo de 5 a 8 de fevereiro; Faial de 8 a 11 de fevereiro; Pico de 11 a 14 de fevereiro; São Jorge de 14 a 17 de fevereiro; Graciosa de 18 a 21 de fevereiro e Terceira de 22 a 28 de fevereiro.

A Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima chegou esta quinta-feira à Diocese de Angra, para uma visita que se estenderá às nove ilhas dos Açores, entre 7 de janeiro e 28 de fevereiro e será acompanhada na primeira viagem pelo Reitor do Santuário de Fátima, Pe Carlos Cabecinhas.

As 16 ouvidorias vão acolher a imagem de 7 de janeiro e 28 de fevereiro de 2016.

A Diocese insular é no contexto das dioceses portuguesas a que mais tempo terá à sua guarda a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima, que entrará simbolicamente pela ilha de Santa Maria, a primeira a ser “descoberta” nos Açores e aquela que possui a primeira ermida dedicada a Nossa Senhora de Fátima fora da diocese de Leiria-Fátima, imediatamente a seguir à Capelinha das Aparições.

A ermida açoriana, erguida no lugar das Feteiras de Cima, na paróquia de São Pedro, em Vila do Porto, foi aberta ao culto a 17 de maio de 1928, e a sua construção resultou de um esforço conjunto do pároco de então, Monsenhor Virgínio Lopes Tavares e de vários fiéis que contribuíram com donativos em dinheiro para que o templo fosse construído.

De acordo com documentação constante no Livro do Tombo da Igreja Matriz de Vila do Porto “a ermida mede 11 metros de comprimento e cinco de largura. É de estilo ogival, tendo na frente duas fenestres em vidraças estreitas” e fica no alto de uma colina, sendo o acesso feito por degraus, em número equivalente ao das contas do Rosário.

“O Espírito do Roteiro definido obedece a uma certa cronologia pois pensa-se que a Igreja de Nossa Senhora de Fátima foi a primeira dos Açores e uma das primeiras (senão a primeira) erguidas no país com esta dedicação”, disse o cónego Hélder Fonseca Mendes sobre o início da visita na Ilha de Santa Maria, aquando da sua preparação.

Em declarações ao Sítio Igreja Açores, o sacerdote recordou que a própria ilha é dedicada a Nossa Senhora, “caso único na Diocese de Angra”.

“Entendemos que faria todo o sentido fazer o acolhimento da Imagem peregrina nesta ilha que foi também a primeira a ser descoberta e povoada”, observou.

O Vigário Geral, que é o delegado Diocesano ao Santuário de Fátima, explicou que a imagem vai fazer o percurso de “todas” as 14 obras de Misericórdia dos Açores e, simultaneamente, percorrer todas as ouvidorias (arciprestados) de “acordo com um tema bíblico”.

Durante a visita, entre 7 de janeiro e 28 de fevereiro de 2016, a Imagem Peregrina ficará “preferencialmente nas igrejas definidas como jubilares” para o Ano Santo da Misericórdia, celebrado de 8 de dezembro, solenidade da Imaculada Conceição, e 20 de novembro de 2016, domingo de Jesus Cristo, Rei do Universo.

Para o bispo da diocese a coincidência entre a visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima e a comemoração do Ano Santo da Misericórdia “deve ser aproveitada como um período de graça”.

Por isso, D. António de Sousa Braga, que preside às cerimónias de acolhimento e de despedida da imagem, juntamente com o novo bispo coadjutor, D. João Lavrador, pede que este período seja “vivido com muita intensidade” por todos os açorianos que “deverão olhar para Nossa Senhora como a verdadeira Porta da Misericórdia”.

O Vigário Geral da Diocese de Angra adiantou também que o facto de ser uma diocese com nove ilhas faz com que “seja mais difícil de planear e de acompanhar” mas, juntamente com o Santuário de Fátima, “conseguiu-se” que tudo fosse “cumprido com o máximo preceito e respeito pelo guião nacional”.

O périplo da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima no Arquipélago dos Açores termina na Sé Catedral, na Ilha Terceira, de onde vai sair pela Porta da Misericórdia .

Até lá a imagem segue o seguinte périplo: Santa Maria, de 7 a 9 de janeiro; São Miguel de 9 de janeiro a 2 de fevereiro; Flores de 2 a 5 de fevereiro; Corvo de 5 a 8 de fevereiro; Faial de 8 a 11 de fevereiro; Pico de 11 a 14 de fevereiro; São Jorge de 14 a 17 de fevereiro; Graciosa de 18 a 21 de fevereiro e Terceira de 22 a 28 de fevereiro.

Entre algumas ilhas a Imagem será transportada de avião e de barco, nomeadamente nas do Grupo Central e dentro de cada ilha, concretamente São Miguel, onde está a maioria das ouvidorias (8) a Imagem será transportada em automóvel.

É a terceira vez que os Açores são visitados pela Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima, depois das décadas de 50 e 80.

Igreja Açores/RL Açores

Imagem: ©Direitos Reservados

 

Deixe uma resposta