Sérgio Ávila afirma que Agenda Açoriana para a Criação de Emprego alavancou a recuperação da economia 

O Vice-Presidente do Governo afirmou hoje, na Horta, que a Agenda Açoriana para a Criação de Emprego e Competitividade Empresarial contribuiu decisivamente para a retoma económica, cujos sinais têm sido evidentes.

Sérgio Ávila, que falava na Assembleia Legislativa, no debate suscitado por uma interpelação sobre o modelo de desenvolvimento económico e social dos Açores, avançou com alguns dados que comprovam a sua afirmação.

Nesse sentido, salientou que aquela Agenda “beneficiou já 32.257 pessoas, 2.333 empresas e criou diretamente 2.997 empregos postos de trabalho”.

“Só através do programa Integra, (a Agenda) apoiou as empresas a contratarem mais 1.450 trabalhadores”, frisou, acrescentando que “através do CPE Premium apoiou a criação direta de 191 postos de trabalho e através do programa de integração de estagiários permitiu que 976 estagiários fossem integrados diretamente no mercado de trabalho”.

Sérgio Ávila realçou também que a Agenda Açoriana para a Criação de Emprego e Competitividade Empresarial “apoiou 7.071 trabalhadores através das suas empresas, nas prorrogações das linhas de crédito, e assegurou, através do programa de estabilidade do emprego, a manutenção de 379 postos de trabalho”.

O crescimento de 20,7 por cento das exportações açorianas primeiro trimestre deste ano foi outro dado avançado pelo Vice-Presidente como resultante da implementação de medidas previstas na Agenda Açoriana para a Criação de Emprego e Competitividade Empresarial.

“O consumo de energia elétrica industrial cresceu 4,4 por cento no primeiro trimestre deste ano, face ao mesmo trimestre do ano anterior, e o consumo de energia elétrica no comércio e serviços cresceu 1,1 por cento”, adiantou ainda o governante.

O Vice-Presidente salientou, por outro lado, que, no setor do turismo, “as dormidas subiram 24 por cento e os passageiros desembarcados aumentaram 17 por cento”, enquanto, noutros setores, revelou que “a saída de peixe fresco por via aérea cresceu 25 por cento e  o leite entrado em fábrica cresceu 12,7 por cento”.

“As licenças de construção de edifícios aumentaram 10 por cento, os levantamentos em Multibanco cresceram três por cento nos nacionais e oito por cento nos internacionais, a venda de automóveis ligeiros aumentou 39 por cento e a de automóveis comerciais cresceu 70 por cento”, afirmou Sérgio Ávila.

Na sua intervenção o Vice-Presidente do Governo aludiu também ao Índice de Atividade Económica da Região, realçando que “é o mais elevado dos últimos 27 meses e registou a maior evolução positiva do país, enquanto as insolvências das empresas nos Açores registaram a maior redução a nível nacional, com menos 39 por cento”.

Para Sérgio Ávila, estes indicadores positivos não significam, para o Governo, que esteja tudo bem, já que “há problemas novos, sérios, que se colocam”.

Relativamente a estes, apontou “a variação, nos mercados internacionais, do preço dos produtos lácteos, o ajustamento que é necessário fazer em termos de política de transportes aéreos e marítimos face aos novos desafios e a taxa de desemprego, ainda muito elevada, mas que esperamos que nos próximos trimestres continue a reduzir de forma sustentada, na sequência do que vem acontecendo”.

“Temos a convicção absoluta de que tudo fizemos, dentro dos nossos recursos e das nossas competências, para conseguir, como estamos a conseguir, inverter a tendência de um problema bastante vasto que nos foi colocado quando iniciámos esta legislatura”, disse o Vice-Presidente do Governo, frisando que, para o Executivo, “os números não deixam de ter importância quando são positivos e passam a ter importância quando são negativos”.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta