Sucesso educativo é “opção prioritária, inadiável e transversal”, diz Presidente do Governo no Dia da Região

O Presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, considerou esta segunda-feira que o “sucesso educativo”, que responda aos indicadores neste setor, é “opção prioritária, inadiável e transversal” para que se garanta uma autonomia política com resultados “de e para as pessoas.

“Com a cidadania, poderemos, então juntos, construir um futuro ainda mais auspicioso. Promovendo uma região mais moderna e mais preparada para enfrentar novos desafios. Como opção prioritária, inadiável e transversal – só podemos eleger o sucesso educativo – A literacia geral da população inteira”, declarou o Presidente do Governo.

José Manuel Bolieiro falava no auditório do Nonagon, na cidade da Lagoa, no âmbito das comemorações do Dia da Região Autónoma dos Açores, que se assinalaram esta segunda-feira.

Na sua intervenção, o governante saudou o regresso do evento em contexto pós-pandemia.

“Hoje e aqui, com alegria, partilha, pompa e circunstância, voltamos a celebrar o Dia da Região Autónoma dos Açores. Novamente fora das paredes parlamentares, na rua, com o povo e com a nossa tradição. Não só com discursos e novamente com a entrega das insígnias autonómicas. Democratizamos ainda mais a cerimónia. Todas as representações parlamentares usam da palavra e sinalizam a sua visão. Retomamos a boa prática de enaltecer o valor do mérito e registar honra no reconhecimento”, declarou.

Momentos como o de hoje, de “celebração”, representam “oportunidades” para se refletir “sobre até onde pode e deve ir” a autonomia.

“Passados 46 anos de autonomia democrática, há muita coisa boa alcançada, mas há ainda tanto atraso, tantos desafios para vencer, tanta oportunidade para realizar, tantos açorianos para recuperar das suas dificuldades, que os fazem ficar para trás na nossa caminhada conjunta”, assinalou o Presidente do Governo.

A atualidade à escala global, nomeadamente a guerra na Ucrânia, foi também abordada por José Manuel Bolieiro: “A atualidade do mundo global confrontou-nos com a realidade das interdependências. Dependemos uns dos outros muito mais do que pensávamos. Não há, por isso, assuntos só da região, ou só do Estado ou, até, só da União Europeia. Nos dias de hoje, marcados, na Europa, pela integração política, e, no sistema internacional, pela globalização, a autonomia exige mais”.

Visto que “parte significativa dos destinos dos Açores se joga fora do arquipélago, a autonomia exige o acesso da Região às instâncias externas onde, no exercício do poder político, são tomadas decisões sobre matérias de interesse” para o arquipélago, reconheceu o governante, que lamentou ainda os níveis de pobreza e esperança média de vida na região, abaixo dos números que se verificam no continente.

“Os preços disparam, o nível de vida está a subir e tudo isso está a criar-nos mais dificuldades, para além do nosso domínio e controlo. Exortamos os açorianos a pouparem nos consumos, a assumir tendência para valorizar a nossa energia amiga do ambiente e a darem provas, ilha a ilha, de uma literacia energética que nos distinga pelo bem, nos planos nacional e europeu. É possível e somos capazes. Neste, como em tantos outros domínios, onde poderemos liderar o desenvolvimento sustentável, como verdadeiro laboratório do futuro”, prosseguiu ainda José Manuel Bolieiro.

“O dia dos Açores é ambição. É querer. Açorianidade nas nossas ilhas e em toda a nossa diáspora! Vivam os Açores!”, concretizou o Presidente do Governo.

GRA/RL Açores

Deixe uma resposta