Totalmente remodelada Escola Primária das Velas reabre apenas com 25 alunos do pré-escolar (c/áudio)

Um edifício dotado de novas valências como um ginásio e um refeitório…sete salas de aulas completamente preparadas e com todas as condições para reabrir em grande o novo ano letivo. A Escola Primária das Velas, em São Jorge, reabriu este sábado, após obras de requalificação, mas vai iniciar o novo ano letivo apenas com cerca de 25 alunos do pré-escolar. Um número que vem contrastar com os mais de 100 alunos que acolhia no ano letivo anterior.

Os restantes alunos, do 1º ciclo, transitam para o novo edifício da Escola Básica e Secundária das Velas.

Para Luís Silveira, presidente do Município das Velas, são decisões políticas, mas que não agradam ao executivo camarário.

“Eu não diria que é um desinvestimento, é um investimento que ficou feito, a estrutura e o edifício está reabilitado”, frisou o autarca, salientando que “por um lado há aqui algum desagrado da nossa parte, porque foi uma prioridade nossa investir na área da educação e é óbvio que este investimento foi preparado para ser uma escola”. Por outro lado, Luís Silveira considera que “nunca será um desinvestimento, porque uma vez que se deixe de lecionar neste estabelecimento”, algo que o autarca espera que não aconteça, “o edifício será adaptado para outros serviços que sejam necessários, municipais ou outros”.

Ficam assim 5 salas disponíveis. O autarca garante, contudo, que no decorrer deste ano letivo a escola permanecerá a funcionar apenas para o seu devido efeito.

Luís Silveira explicou a causa desta decisão de fazer transitar para a escola básica e secundária os alunos do 1ºciclo.

A decisão prendeu-se com a existência do novo edifício da EBS das Velas, “uma escola que tem uma grande dimensão e em que estava preparada para receber alunos”, e, assim, segundo o autarca, “havia que, no entendimento da tutela, preencher as salas dessa nova escola e teria que fechar algumas escolas do ensino primário ou, pelo menos, tirar alguns alunos das escolas e uma das que sofreu um grande corte no número de alunos foi esta”.

Já o Secretário regional da Educação e Cultura apenas disse quanto a esta situação que se trata de um edifício multifacetado, que será aproveitado “na medida do possível”.

“Será aproveitada porque aqui vai ficar o pré-escolar”, sendo que “este pré-escolar vai correlacionar-se com o primeiro ciclo e com os demais ciclos da escola que fica aqui próxima e a comunidade aqui das Velas dispõe, creio eu, aqui de um edifício para cumprir, sempre que possível, funções escolares e, eventualmente, um edifício multifacetado capaz de albergar outras atividades de interesse comunitário”, afirmou o Secretário Regional.

Avelino Meneses reafirmou que São Jorge, no que diz respeito a matéria escolar, “é uma ilha que vem beneficiando de instalações, efetivamente, excelentes”, referindo-se ao novo edifício da Escola Básica e Secundária das Velas, ao arranque das obras de construção da nova Escola da Calheta que “será para breve”, estando ainda projetadas para o Topo reparações necessárias que se prendem com a derrocada de um muro e com a reabilitação do piso do pavilhão desportivo.

Avelino Meneses reafirmou que São Jorge está dotado de boas infraestruturas escolares, que ainda irão melhorar com o arranque das obras da Escola Básica e secundária da Calheta.

Liliana Andrade/RL Açores

Deixe uma resposta