Avelino Meneses afirma que voluntariado “não é propriamente um passatempo”

O Secretário Regional da Educação e Cultura, defendeu esta segunda-feira, em Ponta Delgada, que o voluntariado “não é propriamente um passatempo”, frisando que exige, cada vez mais, “o exercício sério, especializado, mesmo profissional”.

Avelino Meneses, que falava na cerimónia de entrega do prémio ‘Escola+Voluntária’ ao Colégio do Castanheiro, salientou que o voluntariado é atualmente “exercido em areópagos de grande responsabilidade”, como hospitais, escolas, lares ou outras instituições congéneres.

“Por isso mesmo, o crescendo e a importância do voluntariado aconselham ao desenvolvimento da formação inicial e contínua que suscite o aperfeiçoamento do trabalho dos voluntários”, frisou.

Nesta cerimónia, em que também esteve presente a Secretária Regional da Solidariedade Social, Andreia Cardoso, o titular da pasta da Educação salientou que se justifica, de igual modo, “maior zelo na defesa da higiene e de segurança no trabalho e, também, maior participação dos colaboradores na tomada de decisão”.

Neste contexto, prosseguiu, é ainda “admissível” que todas as tarefas sejam “sujeitas a uma avaliação de desempenho e que impliquem um processo de acreditação e de certificação de competências”.

O Secretário Regional da Educação e Cultura, que felicitou os 54 voluntários da escola vencedora da edição de 2014/2015 do prémio, manifestou a convicção de que a participação nesta ação voluntária “constituiu decerto uma forma de maior sinergia na relação entre a escola e a comunidade”.

“A mobilização da comunidade educativa e dos parceiros sociais corresponde a um dos mais poderosos instrumentos de obtenção de maior sucesso escolar, afinal a via de construção de maior progresso nas comunidades”, afirmou.

O Programa ‘Escola+Voluntária’, que este ano conheceu a sua segunda edição, é uma parceria entre as direções regionais da Solidariedade Social, da Educação e da Juventude, no sentido de reconhecer e valorizar projetos no âmbito da temática do voluntariado em contexto escolar.

A iniciativa visa reconhecer a atividade de voluntariado nos estabelecimentos de educação e ensino da Região, constituindo um caminho para reforçar o papel da escola como agente estruturante na construção de relações humanas e de modelos de consolidação de valores de responsabilidade social.

Neste ano letivo de 2014/2015 estiveram a concurso 20 projetos, dos quais 15 da ilha de São Miguel, quatro da ilha Graciosa e um da ilha Terceira, mais cinco projetos do que os que concorreram à primeira edição, no ano letivo 2013/2014.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta