Açores têm os melhores indicadores nacionais no abastecimento de água, revela Luís Neto Viveiros

O Secretário Regional da Agricultura e Ambiente revelou esta quarta-feira, em Ponta Delgada, que mais de 98% da água consumida nos Açores é de boa qualidade, percentagem atestada por cerca de 23 mil análises anuais e por um sistema de vigilância sanitária permanente, sendo também a Região “uma referência nacional ao nível da distribuição de água”.

“Nos Açores registam-se os melhores indicadores nacionais para o setor de abastecimento de água, quer ao nível da frequência de amostragem, do cumprimento dos valores paramétricos ou mesmo quanto ao indicador de água segura”, afirmou Luís Neto Viveiros na abertura do 13.º Encontro Técnico EcoServiços.

Na sua intervenção, salientou que, no sentido de contribuir para o “incremento da confiança dos consumidores na qualidade da água da torneira, tendo em conta os desígnios de proteção da saúde pública e de preservação do ambiente”, o Governo dos Açores vai distinguir, em 2016, “com o ‘Selo de Qualidade da Água para Consumo Humano’ os municípios açorianos que atinjam patamares de excelência”.

Para o titular da pasta do Ambiente, “às entidades gestoras [dos setores de abastecimento de águas, saneamento e resíduos] coloca-se agora o desafio da transição do ciclo da construção para o ciclo da gestão dos sistemas”.

Nesse sentido, Luís Neto Viveiros destacou a aprovação este ano de um Programa de Apoio à Gestão Patrimonial de Infraestruturas para as entidades gestoras que estejam sujeitas à regulação da ERSARA – Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos dos Açores.

O valor dos apoios financeiros a atribuir pela ERSARA abrangem até 80% do custo suportado com a aquisição de equipamento informático (software) para suporte aos sistemas de informação geográfica, bem como a aquisição de serviços de recolha e formatação de dados.

Luís Neto Viveiros frisou que “a gestão de resíduos sólidos urbanos, o abastecimento de água às populações e o saneamento de águas residuais urbanas são matérias primordiais”, salientando que, “em consequência das boas políticas públicas prosseguidas”, os Açores registam atualmente “excelentes indicadores em cada uma destas matérias e evidências que relevam a sua eficácia”.

“Constatamos que é nos Açores que os esforços pela recolha, transporte e valorização de resíduos mais crescem”, afirmou, acrescentando que a construção e entrada em funcionamento dos Centros de Processamento de Resíduos alterou o “paradigma da gestão de resíduos” no arquipélago.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta