“Birrinha” entre PS e PSD levou a retrocesso na negociação para easyjet voar para a Terceira, lamenta CDS-PP

O Presidente do Grupo Parlamentar do CDS-PP Açores, Artur Lima, exigiu, esta quinta-feira, esclarecimentos ao Secretário Regional do Turismo e Transportes sobre as negociações que disse ter mantido com as companhias low cost para estas passarem a voar também para a ilha Terceira, lamentando que “uma birrinha entre o PSD e o PS nos Açores tenha levado a um retrocesso nas negociações” que o anterior Governo da República mantinha com a empresa easyJet para voar para as Lajes.

“Apesar de liberalizada, a rota da ilha Terceira, quase um ano depois da entrada em vigor do novo modelo de transporte aéreo nunca recebeu, nem se prevê que venha a receber (basta pesquisar os horários das companhias low cost para 2016) qualquer ligação das transportadoras de baixo custo, apesar de, por diversas vezes, responsáveis empresariais já terem manifestado interesse em voar para a ilha Terceira”, referiu Artur Lima, em conferência de imprensa, em Angra do Heroísmo.

O Líder dos populares açorianos lembrou as declarações de Vítor Fraga, secretário regional com a tutela dos Transportes, “em Julho de 2015” afirmando que “o Governo dos Açores tem trabalhado continuamente para que a chegada das companhias low cost à Terceira seja uma realidade dentro de pouco tempo”, assegurando que “o Governo dos Açores está longe de baixar os braços nesta matéria” e manifestando confiança em obter “bons resultados deste trabalho”, destacando “todos os esforços do Governo para que a entrada das companhias low cost na Terceira se torne uma realidade a curto prazo”.

A bancada parlamentar do CDS recorda ainda que o Secretário Regional Vítor Fraga fez inclusivamente questão de referir, “um a um, as duas dezenas de contactos e reuniões mantidas, desde setembro de 2014, com as low cost que já operam em Ponta Delgada para abordar a eventualidade de começarem a voar para a Terceira”, assegurando que, da parte do Governo dos Açores, “estes contactos e este trabalho continuarão a ser mantidos até ao dia em que veremos concretizada a chegada das low cost à Terceira”.

Por outro lado, frisou Artur Lima, “sabemos que o anterior Governo da República (PSD/CDS) manteve com, pelo menos, uma das companhias low cost que já operam na rota de São Miguel um processo negocial, visando o início da operação das companhias de baixo custo para a ilha Terceira. Entretanto, o atual Ministro da Economia (do Governo socialista da geringonça) já confirmou a existência das negociações do Governo da República anterior com a empresa easyJet, bem como confirmou que o atual Governo da República não tem qualquer processo negocial em curso, nem diligenciou no sentido de manter as anteriores negociações, no sentido de concretizar o objetivo por todos pretendido de colocar low cost’s a voar para a Terceira”.

O Líder do CDS-PP Açores não tem dúvidas que “uma birrinha entre PSD e PS nos Açores” dificultaram o processo, frisando que as informações que tinha do Ministério da Economia anterior “é que as negociações estavam a decorrer bem”. Porém, “as declarações públicas precipitadas do PSD e as declarações irresponsáveis do Secretário Vítor Fraga, que, por um lado, tornaram públicos alguns dos dados das negociações e, por outro, fez saber que mantinha negociações paralelas com outra companhia low cost, levaram a que houvesse um retrocesso nas negociações. Elas não pararam, mas a empresa com quem o Governo da República, através do anterior Ministro da Economia, estava a negociar fez novas exigências”.

Falsas expetativas

Assim, alegam os democratas-cristãos, “e porque foram criadas expetativas aos Terceirenses, por parte do Secretário Regional do Turismo e Transportes, quando disse que estava a negociar com low cost’s e que não desistiria deste trabalho até ter efetivamente companhias de baixo custo a voar para a Terceira, importa que o Governo Regional preste todos os esclarecimentos sobre este processo, sob pena de defraudar os Terceirenses, em particular, e todos os demais Açorianos que usufruem da gateway da Terceira para viajar. Importa também perceber porque motivo quando os Governos (da República e da Região) eram de cores políticas diferentes haviam negociações em curso com empresas de aviação de baixo custo para voarem para a Terceira (aliás, compromisso sempre assumido pelo anterior Governo da República e assumido no Programa do Governo que foi recusado pelas esquerdas no assalto ao poder no Terreiro do Paço), e agora que os Governos são ambos do PS não se deu continuidade a este processo”.

Nestes termos, Artur Lima anunciou que o CDS-PP deu entrada na Assembleia Legislativa da Região de um requerimento ao Governo, solicitando vários esclarecimentos: “Quais os resultados das ‘duas dezenas de contactos e reuniões mantidas, desde setembro de 2014, com as low cost que já operam em Ponta Delgada para abordar a eventualidade de começarem a voar para a Terceira’?; Que propostas concretas obteve o Governo Regional dos Açores por parte das companhias aéreas de baixo custo que sempre se têm manifestado disponíveis e interessadas em voar para a ilha Terceira?; Que contrapartidas ou apoios estava o Governo Regional disponível para ceder às transportadoras low cost que foram contatadas no sentido de iniciar operações regulares para a ilha Terceira?; Para além da ilha Terceira, as companhias low cost manifestaram interesse em voar para mais alguma ilha dos Açores com gateway?; Que diligências fez o Governo dos Açores junto do atual Governo da República no sentido de apurar os motivos que levaram a que a mudança de Governo tenha resultado no fim das negociações que vinham sendo mantidas, nomeadamente com a empresa easyJet, no sentido desta iniciar ligações regulares com a ilha Terceira?; Que condicionalismos e/ou impedimentos foram identificados pelas companhias aéreas de baixo e/ou pelo Governo dos Açores que tenha resultado no facto de nunca se terem iniciados ligações destas companhias para a ilha Terceira?; Qual o atual ponto de situação no relacionamento negocial entre o Governo dos Açores e as companhias low cost, no sentido de vir a concretizar o objetivo anunciado pelo Secretário Regional do Turismo e Transportes “que a chegada das companhias low cost à Terceira seja uma realidade dentro de pouco tempo”?”.

GI CDS-PP Açores/RL Açores

Deixe uma resposta