CDS-PP quer uma Autonomia de resultados, não uma Autonomia de cargos, afirma Artur Lima

O Presidente do CDS-PP Açores, Artur Lima, afirmou, esta terça-feira, que o seu partido defende “uma Autonomia de resultados, não uma Autonomia de cargos”, referindo ser “contra” a criação da figura do Presidente dos Açores e a transformação dos Conselhos de Ilha em Governos de Ilha, com poderes executivos.

Após uma reunião, em Ponta Delgada, com o Presidente do PS/Açores, Artur Lima foi categórico: “Nós viemos ouvir as propostas do PS, porque fomos convidados pelo Presidente do PS/Açores. Agora, o que eu disse – e quero deixar isso bem claro para todos os Açorianos – é que o CDS defende uma Autonomia de resultados, não uma Autonomia de cargos”.

E quando o Líder dos populares fala em resultados está a referir-se a: “O que nós queremos é uma Autonomia com resultados na saúde, na agricultura, na gestão das nossas águas territoriais… O que nós queremos é desenvolver uma Autonomia que seja capaz de fazer uma auto-avaliação, corrigindo as assimetrias que a própria Autonomia foi criando, quer intra-ilha, quer inter-ilhas”.

Para os democratas-cristãos açorianos “a Autonomia existe para trazer melhores condições de vida aos Açorianos” e isso “não é só no papel”, alegando que para se conseguir melhorar os resultados desta Autonomia “é preciso ter bom governo e boa oposição”.

“O CDS-PP está disponível para discutir, por exemplo, o aumento da fiscalização da nossa zona económica exclusiva; estamos disponíveis para avançar na nossa posição geoestratégica, no âmbito da NATO e dos acordos internacionais; estamos disponíveis para tratar de protocolos efectivos e eficazes na área da saúde, entre os Açores e a República, para que os Açorianos não continuem a andar de canto para esquina e a serem mal tratados; estamos disponíveis para um apoio forte à nossa agricultura e à transformação de produtos; estamos disponíveis para melhorar o sistema de acessibilidades internas, quer ao nível da carga, quer ao nível dos passageiros e estamos, acima de tudo, disponíveis para aumentar a coesão territorial e para reduzir as assimetrias que existem”, afirmou.

Artur Lima disse ter reforçado, nesta reunião com Vasco Cordeiro, algumas das propostas que o CDS-PP defende há vários anos na Região, como por exemplo, “a regionalização dos serviços de finanças” ou a forma de reduzir custos com o funcionamento da Assembleia Legislativa da Região: “Agora há partidos que falam em reduzir deputados! Nós temos uma proposta efetiva há muito tempo que permitiria poupar cerca de 25% do orçamento anual da Assembleia. Nós propomos os deputados não afectos, que iriam ao Parlamento nos dias das sessões plenárias, defender as suas ilhas e tratar dos assuntos que teriam para tratar e depois regressariam aos seus trabalhos normais”, avançou.

Porém, insistiu Lima em declarações aos jornalistas à saída deste encontro, “não estamos disponíveis, e disse-o claramente ao PS, para criar governos de ilha ou para criar presidentes dos Açores”, até porque, sublinhou, “o que é prioritário para o CDS é corrigir assimetrias; uma autonomia de resultados, não uma autonomia de cargos”.

Assim, concretizou, “somos contra a criação do cargo de Presidente dos Açores; somos contra dar poderes executivos aos conselhos de ilha; extinguir o cargo de Representante da República não nos opomos, mas com que critérios? Vamos atribuir as suas competências a quem? Ao presidente da Assembleia Legislativa da Região? Tem isenção para isso? Quem quer que seja, não está em causa a pessoa! Nós estamos disponíveis para este debate, mas queremos uma Autonomia de resultados, não uma autonomia de cargos”, finalizou.

GI CDS-PP Açores/RL Açores

Deixe uma resposta