Presidente do Governo defende mobilização de todos para dar “tolerância zero” ao fenómeno da violência doméstica

O Presidente do Governo dos Açores apelou esta terça-feira, em Santa Cruz das Flores, à mobilização de todos para que a Região possa continuar o percurso de diminuição do número de ocorrências de casos de violência doméstica, um fenómeno ao qual deve ser dada “tolerância zero”.

“Seja qual for a forma de violência que assuma, seja qual for o género sobre que incida, devemos ser uma Região que se caraterize por tolerância zero face à violência doméstica”, afirmou Vasco Cordeiro, que falava na apresentação pública da Campanha Regional de Prevenção e Combate à Violência Doméstica, que inclui, entre outras iniciativas, a criação de criação de uma linha de atendimento telefónico com o número 800 24 24 24.

O horário de funcionamento desta linha, assegurada por uma equipa técnica com formação específica, é das 8H30 às 20H30. Fora deste horário, as chamadas são automaticamente redireccionadas para o número nacional de emergência 112, garantindo, assim, que nunca se regista um vazio em termos de atendimento.

Segundo Vasco Cordeiro, todo este trabalho que o Governo dos Açores está a fazer e que pretende continuar fazer, assim como todas as parcerias que têm sido desenvolvidas, têm o objetivo de concretizar esta estratégia regional, “assumindo de frente que temos este desafio para vencer”.

“Temos de nos mobilizar todos para garantir que a Região continue neste percurso de diminuição acentuada do número de ocorrências de fenómenos com a violência doméstica”, frisou o Presidente do Governo, que falava no primeiro dia da visita estatutária à ilha das Flores.

Segundo o último Relatório Anual de Segurança Interna, as forças de segurança registaram nos Açores, em 2015, uma redução de 10,8 por cento do número de ocorrências em relação ao ano anterior, a maior diminuição do país, onde o número de ocorrências apenas decresceu 1,8 por cento.

Na sua intervenção, Vasco Cordeiro dirigiu, por outro lado, uma palavra de agradecimento a todas as entidades que são parceiras neste processo, considerando que o desafio de vencer o fenómeno da violência doméstica e de género não compete apenas ao Governo, mas a toda a sociedade açoriana.

O Presidente do Governo salientou ainda que, em 2015, no que tem a ver com ações de sensibilização para este fenómeno, foi desenvolvido um trabalho que permitiu abranger cerca de 50 mil Açorianos.

Além disso, o trabalho desenvolvido permitiu que os centros de atendimento acompanhassem cerca de quatro mil casos no ano passado, que encontraram, nas várias componentes desta intervenção, o apoio e o acompanhamento a que têm direito.

“Mas não estamos satisfeitos com estes resultados, porque este é um fenómeno relativamente ao qual se torna necessário afirmar que consideramos que lhe deve ser dada tolerância zero”, afirmou Vasco Cordeiro.

No âmbito do II Plano Regional de Prevenção e Combate à Violência Doméstica e de Género, a campanha hoje apresentada envolve todas as instituições privadas de solidariedade social que integram a Rede Regional de Apoio Integrado ao Cidadão Vítima de Violência Doméstica e de Género, a qual, por sua vez, é constituída pelas Redes e Polos Locais de Prevenção e Combate à Violência Doméstica existentes em todas as ilhas.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta