Félix Rodrigues alerta: República tem que recuperar e preservar o valioso património que tem nos Açores

O cabeça de lista da Coligação CDS-PP/PPM “Aliança Açores”, Félix Rodrigues, defendeu, esta sexta-feira, “uma rápida intervenção” do Estado na preservação e manutenção do “riquíssimo” património militar, cultural e religioso que existe em todas as ilhas, apontando críticas a Berta Cabral e exigindo “esforços conjuntos” entre a República e a Região para se promover a identidade portuguesa e se acrescentar valor ao turismo nos Açores.

Numa ação de pré-campanha para as eleições Legislativas do próximo dia 4 de Outubro, junto às muralhas do Castelo de São João Baptista, em Angra do Heroísmo, Félix Rodrigues defendeu ainda a valorização do “valioso património arqueológico” que existe nos Açores, quer em terra, como no mar, através da fusão do Instituto Português do Património e do Instituto Português Arqueológico.

“A República tem responsabilidades na Região pela conservação, preservação e manutenção de património nacional que é uma mais-valia para a promoção de um turismo cultural e para a promoção da identidade portuguesa, no conjunto do País e, principalmente, fora do País. Fomos um grande povo e estes traços daquilo que fomos são fundamentais para assegurar a nossa identidade”, declarou.

Para a coligação CDS-PP/PPM não é aceitável que “o património que está em maior estado de degradação em todas as ilhas seja o património sob responsabilidade da República”, pelo que Félix Rodrigues exige “um olhar da República sobre o riquíssimo património que temos nos Açores”.

“Não há uma ilha, sem exceção, que não tenha património extremamente valioso e de responsabilidade da República que não esteja a decair”, apontando os casos da “maioria dos fortes que existiam nas nossas ilhas e que o mar já derrubou” tendo-se perdido todos os seus registos e referências.

“Todas estas edificações militares são fundamentais para o desenvolvimento turístico”, acrescentou o cabeça de lista da “Aliança Açores”, salientando, por isso, que “é preciso que se desenvolvam esforços em conjunto (República e Região) para a preservação da identidade portuguesa e para criar valor acrescentado para o turismo”, até porque, frisou, “se temos capacidade para oferecer cultura, património e ambiente temos um produto muito singular do ponto de vista turístico”.

Neste domínio, Félix Rodrigues não deixou de desferir criticas à atual candidata do PSD pelos Açores à Assembleia da República e Secretária de Estado da Defesa, Berta Cabral, pelas responsabilidades diretas e executivas que teve, nos últimos anos, sobre o património militar do Estado existente nas ilhas: “É pena que alguém que tem ocupado funções de Estado, há vários anos, na República, nunca tenha feito nada pela preservação deste riquíssimo património e, só agora, em campanha eleitoral, repare na importância da sua preservação e manutenção”.

Por fim, o cabeça de Lista da coligação “Aliança Açores”, reforçando que o Governo central tem que “estar atento ao seu património, porque estamos a falar de uma riqueza incalculável”, considerou que “para estar atenta ao património a República tem que olhar também para o património arqueológico”, onde os Açores são igualmente “riquíssimos”.

“É preciso fazer uma exploração deste património arqueológico; temos imensos barcos naufragados nos Açores. É preciso tirar daí riqueza e atratibilidade turística. Por isso entendemos ser fundamental a fusão do Instituto Português do Património com o Instituto Português Arqueológico para unir esforços, num período de contenção financeira, e, simultaneamente, promover o que é nosso e criar riqueza, que em qualquer parte do mundo é válida”, afirmou.

GI CDS-PP Açores/RL Açores

Deixe uma resposta