Segurança dos visitantes da Montanha do Pico reforçada com mais 150 unidades de GPS 

O Secretário Regional da Agricultura e Ambiente anunciou hoje o reforço da segurança dos visitantes da Montanha do Pico através da instalação de um sistema de vídeovigilância e da disponibilização de equipamento individual de rastreio a todos os visitantes, com a aquisição de mais 150 unidades de GPS.

Luís Neto Viveiros, que falava na assinatura de um protocolo com a Associação dos Bombeiros Voluntários da Madalena para a prestação do serviço de coordenação, controlo e vigilância do acesso à Reserva Natural da Montanha do Pico, salientou que este investimento de 120 mil euros permitirá, “em simultâneo, vigiar mais pessoas e garantir a sua segurança”.

O titular da pasta do Ambiente revelou também que autorizou hoje a abertura do concurso para a construção da zona de apoio às descidas da montanha e de uma nova área de estacionamento de viaturas.

Esta empreitada representa um investimento público de cerca de meio milhão de euros e vai permitir aos privados potenciar a sua atividade, respondendo ao aumento da procura turística, oferecendo melhores condições de conforto aos visitantes.

Em 2015, a Casa da Montanha foi visitada por cerca de 25 mil pessoas, um número recorde, das quais cerca de 10.500 escalaram a montanha.

Nesta cerimónia foram também apresentadas as novas regras de funcionamento e usufruto desta Reserva Natural, publicadas hoje em Jornal Oficial através de uma Portaria conjunta das secretarias regionais da Agricultura e Ambiente e do Turismo e Transportes.

O novo regulamento permite que a Casa da Montanha, ponto de paragem obrigatória, que tem como principal função o registo e controlo das subidas, esteja aberta todo o ano, sendo também alargado o período de verão, durante o qual funciona todos os dias durante 24 horas.

A Casa da Montanha, situada a cerca de 1.200 metros de altitude, disponibiliza informação sobre a geologia, biologia, história e clima, quer em painéis informativos, quer em formato de vídeo que pode ser visualizado no auditório.

Por outro lado, foi destacada a oferta de um novo percurso, promovendo a visita à Furna Abrigo e proporcionando aos visitantes que não pretendam ou não tenham condições de subir até ao pico a possibilidade de usufruir de uma experiência na Montanha.

O novo regulamento prevê também o aumento do controlo das visitas e da permanência no Piquinho, promovendo o acesso a esta zona da Montanha através de guias certificados, estando a decorrer o segundo curso de formação no espaço de um ano, numa iniciativa da Direção Regional do Ambiente.

GaCS/RL Açores

Deixe uma resposta