Oito meses de Governo Regional caracterizam-se por “assalto à administração regional, atirar dinheiro para cima de qualquer assunto e cópia de soluções passadas”, realça Vasco Cordeiro

O Presidente do Grupo Parlamentar do PS no Parlamento Açoriano realçou, esta terça-feira, que este Governo Regional “assaltou a administração regional, resume-se a atirar dinheiro para cima de qualquer assunto e copia soluções do passado, em vez de procurar soluções para o presente”.

Vasco Cordeiro falava na cidade da Horta, onde decorre o plenário da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.

“Quem ouvisse a comunicação do Sr. Presidente do Governo e ignorasse que este Governo está em funções há cerca de 8 meses, acharia que o Sr. Presidente do Governo está em campanha eleitoral”.

“O Governo é lesto na distribuição de milhões, mas é parco numa estratégia de longo termo para a nossa Região”, acusou o socialista.

Vasco Cordeiro realçou que o Presidente do Governo “elogia – e bem – a Tarifa Açores, mas depois não faz qualquer menção ao impacto que esta pode ter no transporte marítimo de passageiros e de carga rodada”.

O líder parlamentar do PS lembrou que este Governo tem à sua disposição receitas extraordinárias na ordem dos 200 milhões de euros, com 85 milhões de euros transitados do anterior Governo, um “aspeto essencial e relevante” para explicar a “forma como este Governo anuncia a distribuição de milhões”.

Nesta matéria, Vasco Cordeiro acusou o Governo de aumentar a dívida da Região em sensivelmente meio milhão de euros.

O deputado socialista frisou que, para além disso, este Governo Regional “tomou de assalto a administração pública regional”, sendo este “o maior Governo Regional de sempre, como comprovam as orgânicas que têm vindo a ser publicadas”.

A este respeito, Vasco Cordeiro denunciou que as orgânicas recentemente publicadas “substituem cargos de chefes de divisão e diretores de serviços por coordenadores, que são, ao contrário dos anteriores, de nomeação e não de concurso público, como era feito anteriormente”.

“Este governo poupa na farinha, para gastar no farelo, ou seja, corta nos cargos técnicos, acessíveis por concurso, para substituí-los por cargos de nomeação política”, denunciou o deputado do PS.

Referindo-se às áreas do Mar, ao investimento no Pólo MARTEC, à aquisição de um novo navio de investigação científica e a um conjunto de investimentos noutras áreas com as quais “o PS concorda”, Vasco Cordeiro destacou que “este Governo se preocupa mais em reproduzir soluções e investimentos do passado do que em fazer diferente, quando a realidade de hoje implica que fossem tomadas medidas diferentes em relação aquilo que foi feito há vários meses atrás”.

“Este Governo tem uma perspetiva de utilização de recursos públicos, entendendo que estes devem ser gastos e não servir funções como a sustentabilidade do desenvolvimento da Região e uma perspetiva mais macro em relação ao investimento que é feito”, lamentou o líder parlamentar do PS, Vasco Cordeiro.

GI PS Açores/RL Açores

Deixe uma resposta